Economia, Notícias

Receita amplia prazo de entrega da declaração do IR 2021 para 31 de maio

Receita amplia prazo de entrega da declaração do IR 2021 para 31 de maio
Receita amplia prazo de entrega da declaração do IR 2021 para 31 de maio

Até domingo, 291,4 mil contribuintes do ABC tinham enviado o documento, dos 718 mil previstos pela Receita para este ano

Os quase 720 mil contribuintes do ABC que deverão entregar de­claração do Imposto de Renda 2021 terão mais um mês para fazê-lo. A Receita Fe­deral ampliou o prazo de envio dos dados para 31 de maio. O adiamento foi pu­blicado no Diário Oficial da União (DOU) de ontem (12). Antes, o calendário terminaria em 30 de abril. Segundo o órgão do Ministério da Economia, o acréscimo tem o objetivo de “suavizar os efeitos da pandemia” de covid-19.

Este é o segundo ano consecutivo em que a Receita adia a data final para prestação de contas ao Fisco. Também em função da pandemia, o último dia para o envio da declaração em 2020 foi 30 de junho.

O prazo final para declaração do IR não foi o único a ser ampliado. Antes possível até 10 de abril, a opção pelo débito automático desde a primeira cota de pagamento agora pode ser feita em casos de imposto a pagar até 10 de maio. Quem enviar a declaração após esta data terá de quitar a primeira parcela por meio de Documento de Arrecadação de Receitas Federais (Darf). Nestes casos, as cotas seguintes poderão ser liquidadas por meio do des­con­to via conta bancária.

Além disso, Declaração Final de Espólio e Declaração de Saída Definitiva do País estão adiadas para 31 de maio. O vencimento do pagamento do imposto relativo à declaração também foi prorrogado para 31 de maio.

“As prorrogações foram promovidas como forma de suavizar as dificuldades impostas pela pandemia. A medida visa proteger a sociedade, evitando que sejam formadas aglome­rações nas unidades de atendimento e demais estabe­lecimentos procurados pelos ci­dadãos para obter documen­tos ou aju­da profissional. Assim, a Receita Federal contribui com os esforços do go­ver­­no federal na manutenção do distanciamento social e di­mi­nui­ção da propagação da do­­en­ça”, informa a nota publica­da no site da Receita Federal.

O adiamento nada tem a ver com o trâmite, no Congresso Nacional, de projeto que visa a adiar a entrega da declaração para 31 de julho. A medida foi aprovada na Câmara, alterada no Senado e, agora, volta para a apreciação dos deputados, antes de ir à sanção do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

ABC

A Receita recebe­u 291,4 mil declarações de con­tribuin­tes do ABC até as 23h59 do domingo, segundo ba­­­­lanço da Superinten­dência da Re­cei­ta Federal da 8ª Re­gião (RF08). O número repre­sen­ta 40,6% dos 718,3 mil do­­­cu­mentos esperados pelo fisco.
A Receita projeta pa­ra es­te ano a entrega do mesmo número de documentos en­caminhados dentro do prazo em 2020, com margem de erro de 2% para mais ou para menos. Assim, segundo a previsão do fisco, os contribu­intes do ABC entregarão entre 704 mil e 732,7 mil declarações.

No corte geográfico, Rio Gran­de da Serra lidera o envio de do­cumentos, com 57,1% do total previsto (veja quadro). Na sequência aparecem Mauá (52%), Diadema (46,3%), Ri­beirão Pi­res (45,5%), São Ber­nar­­­­­do (39,4%), Santo André (38,3%) e, por fim, São Caetano (30,4%).

Estão obrigadas a apresentar a declaração pessoas físicas residentes no Brasil que, em 2020, receberam rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70; que obtiveram rendimentos isen­­­tos, não tributáveis ou tri­bu­­ta­dos exclusivamente na fon­­­­te cuja soma foi superior a R$ 40 mil e obtiveram, em qual­quer mês, ga­nho de capital na alie­nação de bens ou direitos sujeito à incidência do imposto, ou rea­lizou operações em bolsas de valores e assemelhadas.

Também é obrigatória a de­­claração a quem obteve re­ceita de atividade rural supe­rior a R$ 142.798; e teve, em 31 de dezembro, posse de bens ou direitos de va­lor total superior a R$ 300 mil.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*