Saúde e Beleza

Queloide e cicatriz hipertrófica: conheça as diferenças e principais tratamentos

Até onde se sabe, a maioria das pessoas não gostam de ter uma cicatriz no seu corpo, não é verdade? Elas geram desconforto e em muitas situações contribuem negativamente para a autoestima de uma pessoa que realmente se preocupa com sua imagem.

Para piorar, ainda existem alguns tipos de cicatrizes diferentes. Uma delas é mais discreta e comum, enquanto outra é uma espécie de “forma exagerada” pelo corpo, o que ajuda a complicar ainda mais a situação daqueles que apresentam essa segunda condição.

Neste post, nós falaremos sobre os queloides e sobre as cicatrizes hipertróficas. Você entenderá as diferenças e saberá como cada uma delas pode ser tratada de maneira efetiva.

Antes de começarmos, saiba que é essencial procurar um médico qualificado antes de tentar qualquer tipo de alternativa mágica ou milagrosa que você venha encontrar na internet ou em outros locais.

Agora que já fizemos nossa recomendação, vamos direto ao assunto. Pronto para saber mais? Continue sua leitura até o final!

O que são os temidos queloides

O queloide é considerado como um verdadeiro pavor para maioria das pessoas que se preocupam com sua estética.

Esse tipo de cicatriz apresenta tom avermelhado e aspecto mais saltado sobre a pele. Essa cicatriz costuma se estender para outras áreas além do ferimento inicial e nunca regride com o tempo.

Em algumas ocasiões, ela também pode causar uma espécie de “espalhamento” para áreas ao redor, o que ajuda a causar ainda mais problemas para as pessoas que as possuem.

Este efeito se assemelha com o surgimento de “nódulos”, que costumam ter aparência e aspecto semelhante.

Hoje, nós sabemos que sua origem tem um aspecto genético e que seus principais locais de surgimento são no tórax, ombro e orelha. Raramente elas acometem a face e outras áreas do corpo, como pernas e braços.

Para as pessoas que apresentam disposição a este tipo de cicatriz, saiba que elas também podem aparecer após algum procedimento estético, cirurgia ou até mesmo acne ou outros ferimentos comuns que causam lesão profunda na pele.

Apesar do seu aspecto desagradável, elas não causam prejuízos funcionais e seus efeitos são puramente estéticos.

Estatisticamente, pessoas negras e asiáticas costumam ter maior incidência deste tipo de cicatriz. Porém, ela pode acometer pessoas brancas e de outras etnias também.

Conhecendo as cicatrizes hipertróficas

A cicatriz hipertrófica é bem mais comum e bem fácil de ser observada. Apresenta aspecto claro, cresce somente no local do corte/ferimento e pode surgir em qualquer região do corpo.

Em muitas situações,  regride com o tempo. Seu aspecto é bem mais “natural”, o que causa bem menos efeitos psicológicos e problemas estéticos para as pessoas que apresentam esse tipo de marca em sua pele.

De maneira geral e em termos bem simples, esta cicatriz é considerada como “normal” e as pessoas dificilmente apresentam grandes problemas com ela, a não ser que elas tenham longa extensão ou estejam em um local comprometedor, como face ou outra região semelhante.

Todas as pessoas podem ter uma cicatriz hipertrófica e é bem provável que você tenha uma neste exato momento.

As cirurgias plásticas e as cicatrizes

Apesar de existirem inúmeras formas desses dois tipos de cicatrizes aparecerem, saiba que é perfeitamente possível que elas surjam após uma cirurgia plástica — ou qualquer outra, na verdade.

Os cortes profundos sempre deixarão algum tipo de marca, e o desenvolvimento dessas “marcas” depende exclusivamente da disposição genética e até mesmo dos cuidados do paciente.

Entenda que nem sempre o surgimento de um queloide ou de uma cicatriz hipertrófica significa erro médico. Apesar da técnica do profissional ser extremamente importante, saiba que não é possível prever ou conduzir com tamanha precisão a cicatrização de uma ferida no organismo.

No caso do surgimento de uma dessas duas cicatrizes, entenda que existem tratamentos adequados e efetivos.

A correção de cicatriz é uma das alternativas mais recomendadas para ambos os casos e certamente é um dos métodos mais eficazes para a amenização do problema. Falaremos mais sobre este tratamento a seguir.

A correção de cicatriz como alternativa

Tenha você um queloide ou uma cicatriz hipertrófica, saiba que tratamentos tópicos dificilmente serão o suficiente para causar bons resultados.

Na maioria dos casos, os tratamentos com pomadas e géis são indicados para pessoas com estrias ou com outros tipos de cicatrizes menos profundas e aparentes. Isso acontece por conta da própria natureza dessas marcas, que são em sua essência, bem diferentes.

Ainda assim, não se esqueça que a recomendação médica é a mais importante, e caso seu médico receite algum medicamento ou outro tratamento menos invasivo, procure ter mente aberta antes de se submeter a outra cirurgia.

No caso das pessoas que optam pela cirurgia de correção de cicatriz, saiba que ela apresenta complexidade relativamente baixa. O cirurgião plástico normalmente faz uma incisão em torno da marca e em seguida utiliza alguma técnica adequada de sutura para evitar que o problema ocorra novamente.

É possível observar excelentes resultados, uma vez que boa parte do tecido conjuntivo que compõe a cicatriz anterior é eliminado. Isso dá uma nova chance para o corpo fazer seu processo de cicatrização, de maneira mais efetiva e livre de grandes problemas.

Por via de regra, os queloides apresentam tratamentos mais intensos e mais complexos. Isso acontece por conta da sua própria natureza irregular. Entretanto, entenda que elas também são tratáveis e podem ser “facilmente” revertidas com um médico altamente especializado e experiente no seu tratamento.

Não se esqueça de sempre conversar com seu médico sobre suas alternativas e sempre ter total certeza de se submeter à correção de uma cicatriz após total recuperação de uma cirurgia plástica ou de outra condição.

Afinal, o corpo precisa de tempo para se recuperar e na maioria dos casos os tratamentos só são eficazes após a “solidificação” da cicatriz, que podem ou não mudar de tamanho ao longo da vida — como no caso dos queloides, por exemplo.

Gostou do conteúdo de hoje sobre queloide e cicatriz hipertrófica? Não deixe de comentar abaixo sua opinião sobre o tema e de compartilhar este post nas redes sociais — você pode ajudar mais pessoas a se livrarem destas terríveis marcas na pele!

Print Friendly, PDF & Email

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*