Diadema, Minha Cidade, Sua região

Projeto trabalha economia solidária em escola de Diadema

Alunos de 11 aos 18 anos estão simulando o gerenciamento de uma cidade. Foto: DivulgaçãoComo uma cooperativa se organiza? Qual a função de prefeito, vice e vereadores? Como se dá a regulação da economia, com pagamento de impostos? Esses conceitos e muitos outros estão sendo trabalhados em projeto pioneiro, desenvolvido pela Incubadora de Economia Solidária de Diadema e a Escola Estadual João Ramalho.

A Cidade Escola João Ramalho de Economia Solidária é uma cidade fictícia que fica dentro da unidade de ensino. Composto de 1.850 pessoas – alunos do 6° Ano do ensino fundamental e do 3° Ano do ensino médio, dos 11 aos 18 anos –, o grupo cultiva hortas (de verdade) para ajudar no abastecimento da merenda. Cuidar dos canteiros faz parte da vivência dessa cidade e também é ação extracurricular que acontece no período de aula.

O grupo eleito que integrará a administração solidária vai auxiliar na compra pública, no sentido pedagógico, dos alimentos produzidos nas hortas e fará recolhimento de impostos. Os vereadores serão responsáveis por fiscalizar o trabalho do Executivo e propor alterações na legislação.

A Cidade Solidária começou a funcionar na escola estadual em 2016, com anuência do do Estado. A iniciativa de implementá-la foi da Casa da Economia Solidária de Diadema, programa ligado à Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, que promove e incentiva empreendedorismo popular, cooperativismo e ações de cidadania que geram trabalho e renda.

A cidade tem dinâmica própria, com atividades que envolvem trabalho e divisão de tarefas, legislação e moeda social, com nome de JR. A prática se personifica na ação dos mais de mil alunos que estudam em 36 salas de aula e cada uma delas representa uma cooperativa solidária gerenciada por presidente, vice e secretário.

“O princípio da colaboração é o ponto chave do projeto, que tem na horta escolar sua principal atividade, mas a transformação das salas de aulas em cooperativas e a experiência que a Cidade Solidária João Ramalho está trazendo é uma oportunidade primorosa, para que os estudantes tenham, de fato, vivências e práticas de cidadania e de empreendedorismo”, afirmou o secretário de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, Laércio Soares.

A técnica de incubação da Casa da Economia Solidária, Monica Alves, destaca que o projeto vai ser inscrito em prêmio de empreendedorismo, na categoria inovação, e que outras escolas estão entrando em contato para reproduzir a iniciativa. Prefeito, vice e vereadores eleitos tomarão posse na Câmara de Diadema, na segunda (17).

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*