Diadema, Minha Cidade, Sua região

Projeto de Diadema melhora qualidade de vida em 2 meses

Edição do segundo semestre foi encerrada com reunião e café da tarde com receitas saudáveis. Foto: Mauro Pedroso/PMDCom excelente disposição e muita vontade de continuar a emagrecer, Odacir Deluca se despede da turma que o acompanhou durante dois meses no Melhor Peso Agora, promovido pelo Programa de Educação Alimentar e Nutricional de Diadema (Peand). O motorista emagreceu mais de 5 kg. “Ainda quero emagrecer mais e vou continuar colocando em prática tudo o que eu aprendi aqui”, destacou Odacir.

A edição do segundo semestre foi encerrada ontem (17) com uma reunião mostrando os resultados e um café da tarde preparado com receitas saudáveis que os participantes aprenderam. O objetivo do projeto é reeducar a alimentação de pessoas obesas por maeio de encontros semanais durante oito semanas.

Odacir já tem visto as mudanças em sua casa com a melhora da alimentação. “Antes, em quatro pessoas usávamos cerca de 6 litros de óleo durante o mês. Hoje, sei que o máximo de consumo para uma família do tamanho da minha é um litro”, contou.
A nutricionista da Secretaria de Segurança Alimentar, Renatiely Rosiny, explicou que o processo de emagrecimento saudável é lento e que esses dois meses servem para reeducar. “O ideal é perder no máximo 2 kg por mês. Por isso, sabemos que o programa, apesar de estar se encerrando, é apenas o início para os participantes”, pontuou.

Algumas das transformações alimentares citadas pelos participantes durante o encontro foram a redução no consumo de carboidrato, sal, frituras e doces. Em contrapartida, acrescentaram nas refeições verduras, legumes e bastante água durante o dia.

“Além de perder quase 2kg, minha disposição aumentou muito e a autoestima nem se fala. Comecei a beber água porque antes era um sacrifício, mas já me acostumei. Agora, tudo que vou comprar leio o rótulo, porque aprendi a diferenciar o que é saudável e o que não é. Hoje sei escolher o que vou comer”, disse a participante Marluce Ferreira.

Excessos

No primeiro encontro, as pessoas inscritas preenchem uma ficha para que a nutricionista avalie a frequência alimentar e os excessos. A partir do segundo dia, os participantes recebem um plano de alimentação feito individualmente de acordo com as necessidades e metas de cada um. Nas demais reuniões, além de aprenderem sobre alimentação, se pesavam e entregavam diário que preencheram durante a semana com os alimentos consumidos. Dessa forma, foi possível acompanhar a evolução de cada um e corrigir possíveis falhas.

Apesar do programa se chamar Melhor Peso Agora nem todos os participantes visam o emagrecimento. É o caso de José Estevan, 68 anos, que começou a participar das reuniões por conta da diabete. O resultado apareceu semanas depois de começar a mudar a alimentação. A taxa de glicose no sangue era de 360 e passou para 65. Atualmente, fica entre 90 e 100, média considerada saudável. “Para mim, o programa foi maravilhoso! Eu aprendi a reduzir as porções e a comer melhor. Antes de começar tinha uma cirurgia que foi adiada por conta da diabetes e, agora, por estar controlada, já consegui marcar a data”.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*