Diadema, Minha Cidade, Sua região

Programa Ciclo do Bem e ações culturais e de segurança alimentar marcam reabertura dos eventos em Diadema

Após 18 meses de atividades suspensas em razão da pandemia pela covid-19, o município de Diadema realizou o primeiro grande evento em local aberto na tarde deste sábado (16). A Praça da Moça, na região central, foi palco da primeira edição do Cultura Na Rua, juntamente com as ações comemorativas do Dia Mundial da Alimentação e do lançamento do Programa Ciclo do Bem - Diadema em defesa da dignidade menstrual. As atividades disponibilizadas para o público foram oficinas de malabares, capoeira, dança do ventre, espetáculo da Companhia de Danças de Diadema, apresentações musicais e circenses. O Busão da Cultura com biblioteca itinerante também foi uma das novidades. O ônibus se tornou um espaço para troca de livros e leitura e vai percorrer os bairros com o cronograma do Cultura na Rua, nos próximos meses. “Hoje foi um dia sonhado e pensado para inserir as atividades culturais. Quando pensamos no Cultura na Rua, pensamos em atividades que pudessem ir para os bairros e territórios da cidade”, afirmou o secretário municipal de Cultura, Deivid Couto. “É a primeira atividade de muitas que virão. Esse é o nosso compromisso, do prefeito Filippi, da Prefeitura e do secretariado: levar política pública de qualidade para a população. Precisamos de alimento, de levar cultura, de transporte, de levar formação, gerar emprego, trazer segurança e temos certeza que essa Prefeitura sabe fazer isso, ressaltou. Além das atividades culturais, o público pode conferir as ações da Semana Municipal da Alimentação, como tendas para divulgação de programas das secretarias municipais, venda de brigadeiros feitos com biomassa de banana, pelo Projeto Colmeia/CAPS Norte; distribuição de mudas de hortaliças pelos integrantes do Programa Agricultura Urbana; e apresentação do Mulheres em Movimento. Para o secretário de Segurança Alimentar, Geraldo Antônio da Silva, conhecido como Gel, o Dia Mundial da Alimentação (16/10) é a oportunidade de uma discussão mais ampla. “Segurança alimentar vai além da questão de você distribuir alimento ou uma cesta básica. É dar um passo para frente, trabalhar a qualidade da alimentação do povo da nossa cidade. Hoje é um dia para compartilhar, refletir e debater o papel da segurança alimentar no mundo e a insegurança alimentar. No Brasil, mais de 19 milhões de pessoas ainda estão passando fome”, disse. O secretário ainda aproveitou para lembrar a criação de um Restaurante Bom Prato no bairro Eldorado, retorno das atividades culturais na Feira Noturna, às quintas-feiras na Praça da Moça, e a continuidade da programação da Semana Municipal da Alimentação, que segue até dia 23 deste mês. Ciclo do Bem Outro destaque foi o início do Programa Ciclo do Bem – Diadema em defesa da dignidade menstrual. A ação anunciada pela vice-prefeita, Patrícia Ferreira, tem o objetivo de combater a pobreza menstrual e diminuir o tabu de se falar abertamente sobre a menstruação e suas consequências. Na etapa inicial, serão arrecadados absorventes femininos e itens de higiene para mulheres de baixa renda. Está previsto mapeamento do total de meninas e mulheres em situação de vulnerabilidade que beneficiariam do programa. “Infelizmente, ainda há pessoas que precisam escolher entre comprar um pacote de absorvente e um pacote de arroz. Muitas adolescentes deixam de ir pra escola porque estão menstruadas e não têm absorvente dentro de casa. É para essa população vulnerável que a gente precisa sim fornecer o absorvente íntimo. Peço que nos apóiem nessa campanha. Tenho certeza que assim como a campanha Sua Fome Me Incomoda, ela terá envolvimento de todos”, explicou a vice-prefeita. No país, estima-se 28% das mulheres, muitas delas adolescentes, deixam de frequentar à escola porque não podem comprar absorventes. Foto: Igor Andrade/PMD
A Praça da Moça, na região central, foi palco da primeira edição do Cultura Na Rua, juntamente com as ações do Dia Mundial da Alimentação e do lançamento do Programa Ciclo do Bem. Foto: Igor Andrade/PMD

Após 18 meses de atividades suspensas em razão da pandemia pela covid-19, o município de Diadema realizou o primeiro grande evento em local aberto na tarde deste sábado (16). A Praça da Moça, na região central, foi palco da primeira edição do Cultura Na Rua, juntamente com as ações comemorativas do Dia Mundial da Alimentação e do lançamento do Programa Ciclo do Bem – Diadema em defesa da dignidade menstrual.

As atividades disponibilizadas para o público foram oficinas de malabares, capoeira, dança do ventre, espetáculo da Companhia de Danças de Diadema, apresentações musicais e circenses.

O Busão da Cultura com biblioteca itinerante também foi uma das novidades. O ônibus se tornou um espaço para troca de livros e leitura e vai percorrer os bairros com o cronograma do Cultura na Rua, nos próximos meses.

“Hoje foi um dia sonhado e pensado para inserir as atividades culturais. Quando pensamos no Cultura na Rua, pensamos em atividades que pudessem ir para os bairros e territórios da cidade”, afirmou o secretário municipal de Cultura, Deivid Couto. “É a primeira atividade de muitas que virão. Esse é o nosso compromisso, do prefeito Filippi, da prefeitura e do secretariado: levar política pública de qualidade para a população. Precisamos de alimento, de levar cultura, de transporte, de levar formação, gerar emprego, trazer segurança e temos certeza que essa prefeitura sabe fazer isso”, ressaltou.

Além das atividades culturais, o público pôde conferir as ações da Semana Municipal da Alimentação, como tendas para divulgação de programas das secretarias municipais, venda de brigadeiros feitos com biomassa de banana, pelo Projeto Colmeia/CAPS Norte; distribuição de mudas de hortaliças pelos integrantes do Programa Agricultura Urbana; e apresentação do Mulheres em Movimento.

Para o secretário de Segurança Alimentar, Geraldo Antônio da Silva, o Gel, o Dia Mundial da Alimentação (16) é a oportunidade de uma discussão mais ampla. “Segurança alimentar vai além da questão de você distribuir alimento ou uma cesta básica. É dar um passo para frente, trabalhar a qualidade da alimentação do povo da nossa cidade. Hoje é um dia para compartilhar, refletir e debater o papel da segurança alimentar no mundo e a insegurança alimentar. No Brasil, mais de 19 milhões de pessoas ainda estão passando fome”, disse.

O secretário ainda aproveitou para lembrar a criação de um Restaurante Bom Prato no bairro Eldorado, retorno das atividades culturais na Feira Noturna, às quintas-feiras na Praça da Moça, e a continuidade da programação da Semana Municipal da Alimentação, que segue até dia 23 deste mês.

Ciclo do Bem

Outro destaque foi o início do Programa Ciclo do Bem – Diadema em defesa da dignidade menstrual. A ação anunciada pela vice-prefeita, Patrícia Ferreira, tem o objetivo de combater a pobreza menstrual e diminuir o tabu de se falar abertamente sobre a menstruação e suas consequências.

Na etapa inicial serão arrecadados absorventes femininos e itens de higiene para mulheres de baixa renda. Está previsto mapeamento do total de meninas e mulheres em situação de vulnerabilidade que beneficiariam do programa.

“Infelizmente, ainda há pessoas que precisam escolher entre comprar um pacote de absorvente e um pacote de arroz. Muitas adolescentes deixam de ir pra escola porque estão menstruadas e não têm absorvente dentro de casa. É para essa população vulnerável que a gente precisa sim fornecer o absorvente íntimo. Peço que nos apoiem nessa campanha. Tenho certeza que assim como a campanha Sua Fome Me Incomoda, ela terá envolvimento de todos”, explicou a vice-prefeita. No país, estima-se 28% das mulheres, muitas delas adolescentes, deixam de frequentar à escola porque não podem comprar absorventes.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*