Últimas Notícias

Profissionais de Saúde de São Caetano são capacitados para identificar pacientes psiquiátricos

As palestras abordaram emergência psiquiátrica, suicidio, transtornos de personalidade, abordagem dos pacientes e a forma de lidar com estigmas e preconceitos contra o paciente psiquiátrico. Foto: Letícia Teixeira/PMSCS
As palestras abordaram emergência psiquiátrica, suicídio, transtornos de personalidade, abordagem dos pacientes e a forma de lidar com estigmas e preconceitos contra o paciente psiquiátrico. Foto: Letícia Teixeira/PMSCS

Durante todo mês de agosto, cerca de 150 pessoas da equipe de enfermagem da Atenção Básica de São Caetano do Sul, separadas em pequenas turmas e respeitando as regras sanitárias da pandemia, participaram de capacitação para avaliação de risco e identificação de pacientes psiquiátricos. As palestras foram ministradas pela coordenadora da Saúde Mental do município, Flavia Ismael.

“Sabemos que 20% da população sofre de depressão e outros 20% com ansiedade. Muitas vezes durante atendimento de rotina essas pessoas emitem sinais e a equipe precisa estar preparada para avaliar o risco e poder encaminhar de forma adequada esses pacientes ao CAPS ou até mesmo para a emergência psiquiátrica”, explicou Flavia.

As palestras abordaram emergência psiquiátrica, suicídio, transtornos de personalidade, abordagem dos pacientes e a forma de lidar com estigmas e preconceitos contra o paciente psiquiátrico.

“Diariamente, os profissionais que atuam em Unidades Básicas de Saúde e na assistência hospitalar, especialmente em serviços de emergência, se deparam com pacientes agitados ou com alterações de comportamento. A agitação psicomotora pode acompanhar quadros tanto psiquiátricos, como de causa clínica. A equipe de Saúde deve estar preparada para analisar e direcionar da melhor forma possível todos os casos”, afirmou Flávia.

Durante os encontros, a psiquiatra aproveita para abordar questões sobre pensamentos suicidas e o trabalho que é realizado pelo CAPS. “São registrados cerca de 12 mil suicídios todos os anos no Brasil e mais de um milhão no mundo. Trata-se de uma triste realidade, com cada vez mais casos, principalmente entre os jovens. Cerca de 96,8% dos casos de suicídio estão relacionados a transtornos mentais. Em primeiro lugar está a depressão, seguida do transtorno bipolar e abuso de substâncias”, explicou.

​SETEMBRO AMARELO

Desde 2014, a ABP (Associação Brasileira de Psiquiatria), em parceria com o CFM (Conselho Federal de Medicina), organiza nacionalmente o Setembro Amarelo. O dia 10 de setembro é o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio.

Em São Caetano, a campanha é conduzida pela Coordenação de Saúde Mental e Secretaria de Saúde, com o apoio dos serviços relacionados (CAPS II, CAPS AD e USCA), além da Atenção Básica.

As ações se darão por meio da divulgação de materiais da campanha nas redes sociais da Prefeitura; iluminação amarela em prédios e praças públicas; e o lançamento da parceria entre a Coordenação de Saúde Mental com o curso de Psicologia da USCS para atendimento psicológico dos profissionais de Saúde do Complexo Hospitalar de Clínicas.

​Além disso, em todas as sextas de setembro haverá psicoeducação com os funcionários do Complexo Hospitalar e do Hospital de Emergências Albert Sabin sobre a temática do suicídio;

no CAPS II, na última semana de setembro, roda de conversa sobre vida e morte; atividades de dança circular entre outras oferecidas nas oficinas dos CAPS II e AD; e capacitação das equipes da Atenção Básica nos horários de matriciamento.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*