Economia, Notícias

Prefeitura reabre Banco do Povo para incentivar empreendedorismo

Prefeitura reabre Banco do Povo para incentivar empreendedorismo
Equipamento foi reaberto ontem por Paulo Serra após ficar fechado por três anos. Foto: Ricardo Trida/PSA

A Prefeitura de Santo André reabriu ontem (3) o Banco do Povo Paulista, localizado na Praça de Atendimento do prédio do Executivo. Fechado desde 2015, o equipamento é uma instituição de microcrédito produtivo que atende micro e pequenos empreendedores sendo pessoa física ou jurídica, com juros de apenas 0,35% ao mês.

O banco possui em todo o Estado de São Paulo mais de 400 mil clientes e já operou cerca de R$ 1,9 bilhão em empréstimos. O fundo de recursos utilizado para a oferta do crédito é formado com base em convênio entre o município e o governo do Estado de São Paulo, no qual a cidade se responsabiliza por 10% e o governo estadual por 90% dos recursos que compõem o montante.

Com o retorno das atividades da unidade andreense, o espaço localizado no térreo 1 da prefeitura passa a concentrar diversos serviços voltados ao emprego. O Banco do Povo Paulista fica ao lado da Sala do Empreendedor e também do  Centro Público de Emprego, Trabalho e Renda de Santo André (CPETR), ambos equipamentos abertos no ano passado pela atual administração.

“Desde que assumimos a gestão colocamos como um dos pontos mais importantes a retomada do crescimento econômico, trazendo emprego, renda e qualificação. Primeiro tivemos o CPETR, depois a Sala do Empreendedor e agora o Banco do Povo Paulista, assim colocando uma grande semente do Poupatempo do Empreendedor, que está no nosso planejamento para a cidade”, afirmou o prefeito Paulo Serra (PSDB).

Crédito

Para pessoas físicas o crédito oferecido pelo Banco do Povo Paulista pode chegar a até R$ 3 mil, enquanto para jurídica – incluindo o Microempreendedor Individual (MEI) – o teto atinge R$ 20 mil. Para associações e cooperativas produtivas ou de trabalho, o limite é de R$ 25 mil.

“Estamos fornecendo este instrumento de investimento para o microempreendedor financiando uma nova empresa ou comércio e, assim, gerando empregos, o que é fundamental. A cidade precisa de postos de trabalho e renda para continuar o seu desenvolvimento, assim como fizemos no ano passado, chegando a um saldo de mais de 1.600 novos empregos e acabando o ano de maneira positiva”, destacou Paulo Serra.

 

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*