Economia, Notícias

Preço do bacalhau cai 9,4%, mas cesta da Páscoa fica 2,61% mais cara neste ano

Preço do bacalhau cai 9,4%, mas cesta da Páscoa fica 2,61% mais cara neste ano
Com a alta na demanda, preço do bacalhau costuma subir durante a Semana Santa. Foto: Dario Oliveira/Folhapress

O consumidor que não abre mão do bacalhau no almoço de Páscoa tem uma boa notícia: o preço do peixe de água salgada caiu 9,37% em relação ao ano passado, segundo pesquisa divulgada pelo Insti­tuto Brasileiro de Economia da Fundação Getu­lio Vargas (Ibre-FGV).

No ano passado, o preço do bacalhau havia subido 5,73% e, em 2016, a alta havia sido de 30,73%.

É preciso ficar atento, no entanto, pois outros itens que fazem parte da bacalhoada subiram. Em geral, a cesta de Páscoa ficou 2,61% mais cara, aponta a pesquisa.

Ainda assim, a variação média dos itens pesquisados ficou abaixo da inflação acumulada em 12 meses.

A prévia do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que mede a inflação oficial do país, ficou em 2,8% nos 12 meses encerrados em março. O Índice de Preços ao Consumidor 10 (IPC-10), apurado pela FGV, registrou 2,87%.

“Alguns produtos tiveram alta significativa”, comentou o economista André Braz, coordenador da pesquisa. Dois grandes vilões – que não foram incluídos na pesquisa da FGV – são o tomate e a cebola. Segundo o IPCA, o preço do tomate subiu 46,38% no acumulado de 12 meses e a cebola teve alta de 34,37%.

Também subiram acima da inflação oficial os pre­ços da batata-inglesa (16,18%), da sardinha em conserva (11,82%), do atum (5,74%), de pescados frescos (4,79%) e do vinho (2,89%).

Braz ressaltou que há produtos em queda, como são os casos de azeite (-0,65%), azeitona em conserva (-1,65%), ovos de galinha (-2,02%), couve (-16,39%)e bombons e chocolates (-10,73%).

O economista, porém, lembrou que o estudo foi feito antes da Semana Santa, e que os preços podem estar mais caros neste período devido à alta da demanda.

“A pesquisa não mostra, em definitivo, o que o consumidor vai encontrar para a Páscoa. Às vésperas da data, o preço do peixe pode subir mais porque a demanda aumenta”, explicou.
Além disso, a variedade, oferta e a qualidade dos produtos também tendem a diminuir com a proximidade da Páscoa.

Para o economista, agora é o momento adequado para comprar. “Quem deixar para a última hora poderá encontrar preços maiores.”
Outra dica para quem está com o orçamento curto é propor a divisão das despesas do almoço com amigos e familiares convidados.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*