Editorias, Notícias, Política

Pré-candidatos tucanos se unem em frente ‘anti-Doria’ em São Paulo

Pré-candidatos tucanos se unem em frente ‘anti-Doria’ em São Paulo
Alguns tucanos afirmam que João Doria é o nome com maior viabilidade eleitoral. Foto: Arquivo

Os três pré-candidatos a governador de São Paulo pelo PSDB se uniram em uma frente para atrapalhar as pretensões do prefeito João Doria de se lançar. Em uma reunião nesta quinta-feira (15), José Aníbal, Floriano Pesaro e Luiz Felipe d’Avila decidiram atuar articulados para garantir que as prévias para a definição do candidato ocorram depois do prazo de desincompatibilização, em abril.

Com isso, colocam Doria em uma posição que ele tem procurado evitar, que é se colocar como candidato e deixar a prefeitura mesmo sem a definição do cenário.
O trio propõe a realização de dez debates entre os nomes inscritos por todo o Estado que culminem com as prévias, em final de abril ou mesmo em maio.
“Se Doria não fosse candidato, não teria problema nenhum com esse calendário, ele que força a antecipação”, disse d’Avila. “A militância quer escolher o seu candidato com muito mais critério.”

Aníbal, presidente do Instituto Teotônio Vilela, rechaçou “uma decisão de afogadilho”. “É uma decisão dele (Doria). Quer ser candidato a governador? Vai participar do processo, que não tem a ver só com o momento de pesquisa qualitativa”, afirmou.

“Sair da moita”

Segundo Pesaro, secretário de Desenvolvimento Social do governo Alckmin, o prefeito de São Paulo precisará “sair da moita” e falar abertamente de suas pretensões.

O secretário apresentará proposta que, se acolhida pelo presidente estadual do PSDB, Pedro Tobias, pressionaria ainda mais Doria. Pesaro quer abrir um prazo de uma semana já em fevereiro para os pré-candidatos a governador do PSDB se inscreverem. Depois, viriam os debates e, então as prévias.

A ideia serviria ainda para constranger a movimentação do vice-governador Márcio França (PSB) para tentar unificar o apoio do PSDB em torno de sua candidatura à reeleição. França assumirá o governo de São Paulo se confirmada a saída de Alckmin para concorrer à Presidência.

Nos últimos dias, tucanos têm aventado a ideia, inclusive, de filiar o vice ao PSDB para garantir palanque único a Alckmin em São Paulo.

Reservadamente, alguns tucanos afirmam, em contrapartida, que Doria é o nome com maior viabilidade eleitoral e deixará a prefeitura em qualquer cenário, seja para disputar o governo ou mesmo para se lançar à presidência. A estratégia o forçaria a se posicionar antes.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*