Minha Cidade, Regional, Sua região

Polo Petroquímico registra queda de 19 balões em cinco meses

Polo Petroquímico registra queda de 19 balões em cinco meses
Empresas do Polo monitoram o céu permanentemente em busca de balões. Foto: Divulgação

A queda de balões na re­gião do Polo Petroquímico do ABC diminuiu nos primeiros cinco meses deste ano em comparação ao mesmo período de 2020. Segundo levantamento do Comitê de Fomento Industrial do Polo do ABC (Cofip ABC), entre janeiro e maio de 2021 foram re­gistradas 19 que­das de balões, ante 35 em igual intervalo do ano passado – uma retração de 45,7%.

O coordenador do Plano de Auxílio Mútuo (PAM) Ca­puava, Valdemar Conti, atri­bui esse resultado ao traba­lho de conscientização que vem sendo desenvolvido ao longo dos anos e ao aumento da fiscalização dos órgãos reguladores que têm agido preventivamente. Porém, para que o trabalho continue sendo efetivo e surta efeito, precisamos da ajuda da população, diz Conti. “A informação é a melhor arma no combate à atividade baloeira”, afirmou.

Nesse sentido, com o objetivo de ampliar a conscientização da população, o Cofip ABC está promo­vendo uma campanha de prevenção à soltura de balões. Os painéis informativos dis­postos nas traseiras dos ônibus que circulam na região e na Capital podem ser vistos até 10 de julho. “Com a pandemia não teremos as tradicionais festas juninas, mas o risco de incêndio aumenta nessa época do ano, quando o clima seco favorece o surgimento de focos de incêndio”, afirmou o coordenador do PAM Capuava.

A população pode ajudar a evitar a ação criminosa de baloeiros. Para isso, basta fazer denúncias anônimas ao Disque Denúncia (181) ou à Polícia Militar (190). Não só soltar balões é crime, como também fabricar, vender e transportá-los, de acordo com a Lei de Crimes Ambientais (lei federal 9.605/1998), que prevê pena de detenção de um a três anos e/ou multa.

MONITORAMENTO

Por meio do PAM Capuava, o Polo Petroquímico do ABC monitora o céu permanente, fazendo a captura de balões que ofereçam risco às instalações do complexo industrial. Quando um balão é avistado, os brigadistas acio­nam um sistema interno de comunicação para fazer o alerta e atuam com rapidez por vias internas que interligam as indústrias. Com a ajuda de viaturas equi­padas com canhões, eles conseguem derrubar o balão ain­da no ar.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*