Esportes, Futebol

Polícia cogita acareação entre Neymar e modelo

Polícia cogita acareação entre Neymar e modelo
Najila deixa a Delegacia da Mulher de Santo Amaro após prestar depoimento. Foto: Marivaldo Oliveira/Código 19/Estadão Conteúdo

A Polícia Civil de São Paulo considera a possibilidade de acareação entre Neymar e Najila Trindade, que acusa o atacante de estupro. O objetivo é eliminar incongruências existentes nos depoimentos dos dois sobre o vazamento de diálogos e fotos íntimas na semana passada. O jogador divulgou mensagens privadas trocadas entre ambos na tentativa de provar sua inocência da acusação de estupro, que teria sido cometido em Paris, no dia 15 de maio, segundo a modelo.

Najila prestou depoimento ontem à 6ª Delegacia de Defesa de Mulher, em Santo Amaro, na Capital. Após não atender a quatro intimações anteriores, a modelo chegou às 11h55, trazida por um carro da polícia e cercada de seguranças. Desceu do veículo com o rosto coberto e foi acompanhada à área interna por advogados, testemunhas e por sua empregada doméstica.

A modelo respondeu às dúvidas da delegada Juliana Bussacos e dos investigadores da Delegacia de Repressão a Crimes de Informática (DRCI), no Rio, por videoconferência.

Um dos questionamentos dos investigadores se refere ao laudo médico particular apresentado pela modelo para comprovar as agressões. O médico Luiz Eduardo Campedelli, que assina o laudo da modelo, registrou “arranhaduras, hematomas em absorção e estrias em região de ambos os glúteos”.

A avaliação foi feita no dia 21 de maio, seis dias após o suposto estupro. O médico disse que seu laudo não ­tinha imagens, mas Najila apresentou fotos das escoriações juntamente com o laudo. Se for comprovada a adulteração, a modelo pode ter de res­pon­der por fraude processual.

Além de Najila, também se­rá ouvida a profissional responsá­vel pela limpeza do apartamento onde a modelo morava. Os investigadores questionam a funcionária sobre possível tentativa de arrombamento no imóvel na noite de terça-feira. Esse teria sido o motivo que a modelo utilizou para não comparecer à intimação de quarta-feira.

A denuciante teve dificulda­des para falar, interrompeu as res­­postas várias vezes e, após passar mal, deixou o local carregada e foi levada ao Hospital Cidade Dutra, na zona sul.
Durante o depoimento, Najila demonstrou estar muito emocionada e em alguns momentos teve dificuldade para relatar o episódio de 15 de maio. A pedido da delegada, na sala do depoimento estavam presentes apenas mulheres, para deixar a possível vítima mais à vontade. Presenciaram a oitiva duas de­legadas e uma escrivã.

AMEAÇA DE MORTE

Em entrevista ao SBT, a modelo disse que sente medo de morrer por estar envolvida em polêmica com uma personalidade famosa e criticou atitudes do jogador durante os encontros realizados em Paris.

Najila afirmou que estava com o jogador no quarto do hotel quando ele tirou uma foto dela nua sem autorização, detalhando como isso aconteceu. “Foi a hora que saí do banho. Me sequei, nua, fui em direção à cama. Foi a hora que ele estava mexendo no frigobar, me empurrou e bateu a foto do meu corpo. Fez aquilo, sei lá, para mostrar para os amigos”, afirmou a modelo durante a entrevista.

Os incidentes foram no mês de maio, mas se tornaram públicos somente a partir de 1º de junho, após o boletim de ocorrência por estupro e agressão ser registrado em São Paulo. Neymar e Najila se conheceram a partir de conversas através da rede social Instagram. A modelo viajou a Paris convidada pelo jogador, que pagou as despesas com passagens aéreas, assim como a hospedagem na capital francesa.

Nos últimos dias, Najila disse estar tomando medicamentos para conseguir se acalmar e contou ter recebido ameaças. “Coisas estavam rolando atrás de mim. Nas minhas costas. Pessoas planejando minha morte. Eu entrei em uma psicose horrível. Eu fiquei com a sensação que poderiam me matar. Eu me sinto pressionada pelas pessoas por trás da carreira dele. As coisas chegam em ligações, mensagens”, disse Najila.

Apesar da angústia, ela garante que vai lutar até o fim para provar a culpa de Neymar no caso, tanto pela conduta na França, como pela postura de divulgar um vídeo com trocas de mensagens entre eles, o que incluía fotos íntimas – isso levou o atacante a se tornar alvo de outra investigação.

“Não bastasse tudo que ele fez no quarto do hotel, ele me expôs de maneira ridícula. Ele já me atacou para sair ileso do que ele fez. Ele levou tudo a público. Se ele era inocente, ele tinha que fazer isso por meios legais. Ele me expôs ao ridículo e queria que eu desistisse da minha luta. A verdade vai vir à tona”, comentou.

 

Modelo diz à polícia que perdeu íntegra de vídeo com jogador

A modelo Najila Trindade disse à polícia durante depoimento ontem (7) que não tem mais a íntegra do vídeo que comprovaria a agressão cometida por Neymar contra ela. Segundo o Jornal Nacional, da TV Globo, a possível vítima do crime explicou que as imagens estavam em um tablet furtado em seu apartamento na última quinta-feira.

A suposta agressão de Neymar teria sido cometida durante segundo encontro do casal. Os momentos entre os dois foram gravados em um celular, em um ato planejado pela mode­lo para comprovar o suposto comportamento agressivo do jogador – o estupro teria acontecido no dia anterior. Nos últimos dias, um vídeo do encontro vazou e mostrava a mulher batendo no atacante. Porém, o material tinha só um minuto de duração. A íntegra teria sete minutos.

O arquivo estava salvo em um tablet deixado na casa de Najila. Porém, durante o depoimento para a delegada Juliana Lopes Bussaco, a possível vítima explicou que o apartamento onde mora foi arrombado na quinta-feira e que os ladrões teriam levado, além do tablet, um relógio e uma quantia em dinheiro guardada em uma bolsa.

No entanto, um setor da polícia especializado em impressões digitais vasculhou o imóvel onde Najila mora e só encontrou no local apenas as marcas dos dedos da própria moradora e da empregada doméstica. A modelo ficou na delegacia durante seis horas e como passou mal durante a conversa, foi levada a um hospital após a oitiva e já foi liberada.

Ao receberem a informação de Najila de que o tablet com o vídeo da agressão de Neymar foi furtado, os investigadores questionaram se ela tinha o arquivo salvo em outro servidor ou em disco rígido virtual. A modelo não soube responder a essa pergunta.

 

Print Friendly, PDF & Email

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*