Economia, Notícias

Petrobras reajusta de uma vez só preços do gás de cozinha, da gasolina e do diesel

Petrobras reajusta de uma vez só preços do gás de cozinha, da gasolina e do diesel
Petrobras reajusta de uma vez só preços do gás de cozinha, da gasolina e do diesel

Maior reajuste será aplicado no gás de botijão, que ficará 6,3% mais caro; combustíveis automotivos sobem 6% e 3,7%

A Petrobras anunciou ontem (5) que vai reajustar, de uma só vez, os preços da gasolina, do gás de cozinha e do óleo diesel nas refinarias a partir de ho­je. As altas chegam a 6,3%.

O maior reajuste será apli­ca­do no gás liquefeito de petró­leo (GLP), o gás de botijão, que passará a custar R$ 3,60 o quilo nas refinarias da estatal. O litro da gasolina foi reajustado em 6%, para R$ 2,69, e o do diesel em 3,7%, para R$ 2,81.

É o 15º aumento consecutivo no preço do gás de cozi­nha nas refinarias. Desde o iní­cio do governo Bolsonaro, o produto acumula alta de 66%.

O diesel, por sua vez, subiu cerca de 40% no acumulado do ano, enquanto a gasolina avançou 46% no mesmo período.
Os reajustes refletem a alta no preço do petróleo no mercado internacional. Ontem, o barril do tipo Brent superou a casa de US$ 77 pela primeira vez desde outubro de 2018, em meio à confirmação de que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo e aliados (Opep+) não conseguiu, pelo terceiro dia consecutivo, chegar a um acordo sobre a retomada gradual da produção.

No ABC, o botijão de 13 kg foi comercializado, em média, por R$ 89,20 na semana passada no varejo, mas os pre­­ços variaram entre R$ 79,90 e R$ 98, se­gun­do pesquisa da Agên­ci­a Nacional do Petró­leo, Gás Na­­tural e Biocombus­­tí­veis (ANP), com da­dos com­pi­lados pelo Diário Regio­nal (veja gráfico acima).

Por conta do apelo social do gás de cozinha, o governo suspendeu a cobrança de PIS/Cofins incidente no produto. Porém, com o novo reajus­te, o preço deve superar a casa de R$ 105 em alguns esta­belecimentos da região.

GASOLINA E ETANOL

Na semana passada, a gaso­lina era vendida, em média, a R$ 5,404 o litro nos postos do ABC. Ainda segundo a ANP, o combustível va­riou entre o preço mínimo de R$ 5,079 (encontrado em estabelecimentos de São Bernardo) e o máximo de R$ 5,899 (em Santo André).

O etanol, por sua vez, era comercializada, em média, por R$ 4,166 o litro na região.

Pela décima semana seguida, a gasolina segue mais vantajosa nos pos­tos da região, já que a pari­dade entre os preços do etanol e do derivado do petróleo está em 77,1%. Segundo a ANP, para que o renovável seja competitivo, a paridade precisa ser inferior a 70,0%. A gasolina é vantajosa quando a relação é superior a 70,4%.

SILVA E LUNA

Os reajustes nos preços da gasolina e do diesel são os primeiros desde que o ge­neral Joaquim Silva e Luna assu­miu a presidência da Petrobras, em 19 de abril deste ano.

O anúncio ocorre após questionamentos no mercado sobre a política de preços da estatal, que começou a observar prazos mais longos entre os ajustes.

Os novos reajustes devem man­ter a pressão sobre o Índice de Preços ao Consu­midor Amplo (IPCA), que mede a in­flação oficial do país e tem nos combustíveis e na energia elétri­ca os principais “vilões” deste ano.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*