Economia, Notícias

Petrobras aumenta gasolina pela 3ª vez em duas semanas, e reajustes chegam ao ABC

Petrobras aumenta gasolina pela 3ª vez em duas semanas, e reajustes chegam ao ABCA Petrobras anunciou, nesta quarta-feira (20), aumento de 12% no preço da gasolina nas refina­rias a partir de quinta. Trata-se da terceira alta em duas semanas, na esteira da recuperação nas cotações do pe­tróleo no mercado internacional. A empresa manteve estável o valor do diesel, após majoração de 8% aplicada na terça-feira.

Os dois reajustes anterio­res promovidos pela estatal já impactaram nos preços praticados nos postos de combus­tível do ABC. Tanto a gasolina como o etanol fi­ca­ram mais caros no varejo, após nove se­­ma­nas seguidas de queda.

Somados os três reajus­tes, o preço da gasolina nas refi­na­rias da Petrobras acumula alta de 38% desde 7 de maio, quando a estatal interrompeu sequência de nove cortes e promo­veu o pri­mei­ro aumento após o início da pandemia do novo coronavírus.

O movimento ascendente reflete os pre­ços internacionais do pe­tróleo, que iniciaram tra­jetó­ria de recuperação na semana passada, motivada pe­­­­­­­la reto­mada da ati­vi­dade eco­­­­nô­mi­ca em alguns países.

Para calcular o preço da ga­solina nas refinarias, a Petrobras consi­dera as cotações do petróleo, a taxa de câmbio (que fechou ontem em queda de 1,1%, a R$ 5,689) e os custos de importação, entre outros parâmetros.

O reajuste agrada impor­tadores e também o setor sucroalcooleiro, que reivindica aumento no valor da gasolina para tornar o etanol mais vantajoso e, com isso, reduzir as perdas nas vendas observadas desde o início da pandemia – a maioria das usinas não tem onde armazenar o combustí­vel produzido e não consumido.

POSTOS

No ABC, a gasolina ficou 1,8% mais cara na semana pas­­sada e passou a custar, em mé­dia, R$ 3,726 o litro nos pos­­tos, segundo pesquisa da Agência Nacional do Petró­leo, Gás Na­tural e Biocombus­tí­veis (ANP), com dados com­pi­lados pelo Diário Regio­­nal.

Nas nove semanas que antecederam a alta, o combus­tí­vel ficou 15,7% mais barato nas bombas, refletindo também a forte redução na deman­da de­corrente da quarentena imposta para conter a pandemia.

O etanol também subiu e ficou 0,9% mais caro na semana passada na região, passando a custar, em média, R$ 2,415 o litro.

As altas ocorrem em meio ao cenário de vendas ain­da fracas nos postos. A queda no consumo de combustíveis chegou a 70% no início da pandemia, mas se recupe­rou um pouco nas últi­mas semanas, devido ao relaxamento no isolamento social.

Pela sétima semana con­se­cutiva, o etanol é mais van­tajoso para os proprie­tários de automóveis flex no ABC. Atualmente, o re­novável custa o equivalente a 64,8% do preço da gasolina. O derivado da cana de açúcar é competitivo quando essa relação é inferior a 70%. Acima de 70,5%, a ga­so­lina deve ser a escolhida. Entre 70,0% e 70,4% o uso é indiferente.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*