Esportes, Paulistão

Pela quinta vez, São Paulo tenta achar substituto para Ceni

Pela 5ª vez, São Paulo tenta achar substituto para Ceni
Thiago Volpi chegou ao São Paulo depois de virar ídolo do Querétaro, do México. Foto: Rubens Chiri/SPFC

Quando a bola rolar no Pacaembu para São Paulo e Mirassol hoje (19), às 19h30, na estreia dos clubes no Paulista, Tiago Volpi será o quinto goleiro após a era Rogério Ceni a tentar se firmar no gol do Tricolor.

Antes dele, Denis, Renan Ribeiro, Sidão e Jean – esse último ainda no elenco – já assumiram a meta e conviveram com a desconfiança dos torcedores.

“Volpi começa o campeo­na­to como titular e imagino conse­guir encontrar nos pri­mei­ros jogos oportunidades pa­ra Jean. Difícil mensurar quem está me­lhor. A gente pode dizer que os dois estão em alto nível. Tem sido uma briga linda de ver”, disse o técnico André Jardine.

Largando na frente do concorrente, Volpi sabe muito bem a pressão que vai encontrar debaixo da trave. “É lógico que exis­te certa pressão por tudo o que o Ceni representou, mas temos de encarar como uma grande oportunidade de poder fazer história, e entender que igual ao Rogério não vai existir”, afirmou o são-paulino, que usa­rá a camisa 23 neste ano.

Volpi começou a carreira no São José-RS, passou pelo Luverdense, mas ganhou projeção no Figueirense campeão catarinense em 2014. No mesmo ano, a equipe conseguiu o acesso para a Série A do Brasileiro.

Depois, Volpi partiu para o México, onde foi tratado como ídolo pela torcida do Querétaro.

Enquanto isso, Ceni se aposentava no São Paulo e, no final de 2015, passou o bastão para Denis, que havia sido contra­tado em 2009. A ideia do clube era prepará-lo e transformá-lo no sucessor de Ceni.

Em 2016, Denis atuou em 68 dos 71 jogos da equipe. A insegurança e a sombra do ídolo que havia acabado de pendurar as luvas não lhe deram tranquilidade para conseguir se firmar.

No ano seguinte, Sidão chegou a pedido do próprio Ceni, então técnico do clube.

Depois de temporada sólida no Botafogo, o jogador iniciou o ano como titular, mas também não convenceu. Revezou a posição com Denis e Renan Ribeiro, contratado pelo clube em 2013, junto ao Atlético-MG.

Em 2018, o São Paulo, mais uma vez, buscou um jogador da posição no início do ano. Pagou R$ 6 milhões ao Bahia por 70% dos direitos econômicos de Jean. Após também passar por momentos difíceis, Jean terminou a temporada bem, embora ainda não inspire total confiança dos torcedores.

 

SÃO PAULO X MIRASSOL

Ár­bi­tro: Leandro Bizzio Marinho. Estádio: do Pacaembu, em São Paulo, às 19h30. TV: Sportv.

SÃO PAULO
Tiago Volpi; Bruno Peres, Arboleda, Anderson Martins e Reinaldo; Jucilei, Hudson e Nenê; Helinho, Pablo e Everton. Técnico: André Jardine.

MIRASSOL
Gustavo Silva; Daniel Borges, Leandro Amaro, Sandoval e Alex Ruan; Leo Baiano, Jean Carlos, Wellington Simião e Darlan Bispo; Felipe Augusto e Alison. Técnico: Moisés Egert.

 

Hernanes é registrado, mas só joga na quinta pelo Tricolor

O São Paulo conseguiu re­gistrar ontem (18) o meia Her­nanes na Confederação Bra­sileira de Futebol (CBF). Com isso, o jogador está fora da estreia contra o Mirassol, hoje, mas ficará apto para encarar o Novorizontino, na quinta-feira, no estádio Jorge Ismael de Biasi, em Novo Horizonte.

O Tricolor só recebeu o Certificado de Transferência Internacional do Hebei Fortune-CHN, às 5h da madrugada de quinta-feira e, por isso, não houve tempo hábil para liberá-lo para o primeiro jogo do Paulistão.

 

 

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*