Política-ABC, Santo André, Sua região

Paulo Serra: ‘Santo André registrou importantes avanços nas principais áreas’

Paulo Serra: "Vamos voltar a viver a cidade como a nossa gente gosta, quer e precisa. Com oportunidades e estruturação, para nos mantermos neste caminho certo, para um futuro seguro."Foto: Helber Aggio/PSA
Paulo Serra: “Vamos voltar a viver a cidade como a nossa gente gosta, quer e precisa. Com oportunidades e estruturação, para nos mantermos neste caminho certo, para um futuro seguro.”Foto: Helber Aggio/PSA

Santo André é a melhor cidade para empreender no ABC; município ocupa o 12º lugar no país e quarto no Estado, em ranking divulgado pela Enap e Endeavor

Santo André completou nesta sexta-feira (8) 469 anos. Nos últimos anos a cidade enfrentou as consequências da pandemia da covid-19, que foram avassaladoras em todo o mundo. Administrar um município em meio ao caos do novo coronavírus, salvar a vida da população e ainda buscar formas de fomentar a economia não foi fácil, mas o prefeito Paulo Serra (PSDB) manteve o foco e Santo André registrou avanços em diversas áreas.

Em entrevista exclusiva para o Diário Regional, o prefeito faz um balanço do último ano.

Quais avanços o sr. destaca no último ano?

Mesmo em meio à pandemia, Santo André registrou importantes avanços nas principais áreas da cidade. Na Educação, entregamos dez novas creches, gerando 3.500 novas vagas, além de mais 8,5 mil tablets entregues com acesso à internet, para otimizar o aprendizado e recuperar as perdas impostas pela pandemia. Nossa merenda deu salto de qualidade e lançamos um programa permanente de manutenção das escolas, o Escola em Dia. Além disso, municipalizamos 17 escolas estaduais, para garantir a excelência do ensino.

Na Saúde, salvamos milhares de vidas durante a pandemia, com planejamento e gestão. Nenhum andreense ficou sem atendimento médico e nossos hospitais de campanha. Por dois anos, a Saúde foi monotemática, focada na pandemia. Agora, estamos retomando os atendimentos com mutirões do Saúde Fila Zero, para zerar demanda contingenciada por consultas, exames e cirurgias em diversas especialidades. Também estamos entregando mais duas Unidades de Saúde – no Jardim Alzira Franco e em Paranapiacaba, tudo para expandir o programa Qua­lisaúde e garantir atendimento digno e de qualidade.

Santo André também tem o maior pacote de obras de infraestrutura da história, com mais de R$ 1 bilhão em investimentos. Estamos resolvendo problemas de décadas, com a entrega do Complexo Cassaquera, que transformou a região, e com o início das obras Complexo Viário Santa Teresinha, a maior obra de Mobilidade Urbana da Cidade.

Quais medidas o município vem desenvolvendo para fomentar a retomada da economia após a flexibilização das medidas restritivas?

Melhorar o ambiente de negócios, a competiti­vidade das empresas e a qualificação profissional são três dos principais pilares adotados para a área de desenvolvimento econômico. Em índice que mede o ambiente concorrencial das cidades brasileiras, divulgado pelo Ministério da Economia, o município alcançou a melhor colocação no cenário regional, sendo a melhor ranqueada do ABC.

O Índice de Concorrência de Municípios (ICM) colocou a cidade acima da média estadual e nacional. Entre as 20 melhores cidades do país no índice nacional, Santo André foi a melhor colocada no ABC, ficando atrás apenas de Sorocaba, Birigui, São Paulo, São José dos Campos e Ribeirão Preto no recorte estadual.

Desde o início da gestão. Nossa cidade, mais uma vez, ocupa posição de destaque no cenário nacional devido ao fato de termos resgatado a credibilidade com incentivos tributários, novas legislações, cursos de capacitação e desburocratização da máquina, comprovando que nosso choque de gestão gera cada vez mais resultados positivos.
Quais ações a prefeitura tomou para minimizar o longo tempo que os alunos passaram ser atividades presenciais?

Investimos em tecnologia para otimizar o aprendizado dos nossos alunos. Distribuímos 23.500 alunos com atendimento de ensino fundamental utilizarão os tablets com chips para acesso à internet. O funcionamento destes equipamentos atende conteúdo pedagógico específico para cada faixa etária e o acesso a sites que sejam exclusivamente direcionados para esta finalidade.

Quais os prejuízos para os alunos desse período fora da escola a prefeitura já levantou?

Considerando o isolamento social decorrente da pandemia do Coronavírus, que afastou os alunos por mais de um ano do convívio escolar e que, para muitos deles, deixaram marcas decorrentes da privação da escola, do convívio, da perda de entes queridos, a Secretaria de Educação lançou algumas iniciativas como o Con_Viver Bem, sob a gerência da Educação Inclusiva. Trata-se de uma equipe de 20 psicólogos itinerantes que trabalham nas creches, Emeiefs e Centros Públicos de Formação Profissional de toda a rede com o objetivo de proporcionar apoio emocional para o professor prioritariamente, equipes gestoras e a comunidade escolar. As atuações são realizadas de maneira coletiva com foco na saúde mental preventiva. Quando necessário são realizados acolhimentos individuais, para que possam ser feitas orientações mais pontuais.

Já o Projeto Acolhendo Emoções, desenvolvido no Centro de Atendimento Educacional Multidisciplinar (CAEM), conta com equipe de psicólogos que atendem os alunos da rede que apresentam queixas ou dificuldades de ordem psicoafetivas e/ou sócioemocionais. Vale ressaltar que esse projeto foi criado com o objetivo de atender as demandas decorrentes pós- pandemia.

“Acolhendo Emoções”, por meio da Gerência de Educação Inclusiva, desenvolvido no Centro de Atendimento Educacional Multidisciplinar (CAEM), para os alunos das Creches, Emeief e EJA. Esses atendimentos são realizados por seis psicólogas do CAEM, contratadas especialmente para lidar com o perfil mencionado acima.

A Secretaria Municipal de Educação concebeu ainda o Programa Nenhum a Menos com o objetivo de garantir que os alunos que estão na escola permaneçam, além disso, visa buscar os alunos que estão fora da escola, identificando os motivos que os levaram a evasão/abandono.

Mediante a assinatura de termo de adesão gratuita foi possível o acesso a Plataforma da Busca Ativa Escolar, que consiste em uma ferramenta tecnológica de apoio às unidades escolares no enfrentamento da exclusão escolar.

A Secretaria de Educação, em 2021 contratou uma empresa para realização de avaliação diagnóstica com os alunos do Ensino Fundamental (2º ao 5° ano) nas áreas Língua Portuguesa, Matemática e Ciências da Natureza.

Um ponto importante foi a estruturação do construto de prova com aproximadamente 60% de habilidades previstas no ano/série anterior e 40% do ano em que os alunos estavam matriculados.

Com relação ao trabalho de resgate de conhecimento de nossos alunos desde o final de 2021, a Secretaria de Educação tem ofertado formação semanal aos professores bem como para a equipe pedagógica das unidades escolares, focando o trabalho com sequências didáticas. Ação essa que será retomada em 2022, incluindo ainda sugestões de trabalho focado em reforço/recuperação.

Também iniciamos o Programa Toda Criança tem Direito de Aprender nos Cesas (Centros Educacionais de Santo André), que anteriormente eram espaços educacionais destinados apenas às atividades complementares, passam agora a configurar uma extensão da sala de aula para recuperar o déficit de aprendizagem. O reforço será aplicado a partir de março nos 12 Cesas da cidade.

Na Educação de Jovens e Adultos (EJA), a heterogeneidade é uma característica da modalidade, sendo assim, a forma de planejar, busca no aluno suas necessidades para que essa recuperação seja contínua e no horário de atendimento. Sendo assim, são pensadas metodologias que buscam essa recuperação.

Quanto aos tablets, a Prefeitura de Santo André, por meio da Secretaria de Educação, esclarece que são 23.500 tablets para alunos com atendimento de ensino fundamental. Em 2021, foram entregues 8500 e em 2022, serão 15 mil tablets para alunos e professores do 2º ao 5º ano do ensino fundamental. O funcionamento desses equipamentos atende conteúdo pedagógico específico para cada faixa etária e o acesso a sites que sejam exclusivamente direcionados para esta finalidade.

O que o período de pandemia deixou de legado para as áreas de saúde e social?

A pandemia mostrou que o planejamento e estruturação da Saúde foram fundamentais para que Santo André fosse resiliente, resistindo à pandemia sem que o sistema colapsasse. Com isso, salvamos milhares de vidas e nos tornamos referência em cuidar de pessoas.

Na área social, criamos a Santo André Solidária, em um momento de crise que afetou sobretudo as famílias mais vulneráveis. Nossa gente se uniu, e arrecadamos 1.600 toneladas de doações, beneficiando mais de 50 mil pessoas, por meio de 115 entidades assistenciais.

O Polo tecnológico completou dois anos. Quais os avanços para a cidade nesse setor?

Entre diversas iniciativas realizadas, se destacaram a plataforma CapacitaTech, a Árvore Solar Conectada e a assinatura da liberação de recursos do Centro de Inovação, Tecnologia e Empreendedorismo (Cite).

Os resultados divulgados foram disponibilizados por meio do Informe Semestral e do Relatório de Gestão, anunciados em post no LinkedIn, que pode ser acessado no link https://www.linkedin.com/posts/parquetecsa_parquetecnolaejgico-informe-primeirosemestre-activity-6894721162614833152-rD-y.

Santo André recebeu prêmio de Cidade Sul-Americana do Esporte. Quais os ganhos que essa premiação pode trazer para o município?

No Esporte, a retomada foi condecorada pelo Parlamento Italiano. Recebemos, em Turim, título de Cidade Sul-Americano do Esporte, pelos investimentos nos equipamentos, quadras, ginásios, campos distritais, incentivo ao esporte amador e de alto rendimento.
Também fomos destaque porque, no pior momento da pandemia, o Estádio Bruno Daniel e o Complexo Pedro Dell’Antonia se transformaram em hospitais de campanha, salvando milhares de vidas. Vida e Esporte andando lado a lado, para garantir que a prática esportiva seja ferramenta de transformação social na formação integral do indivíduo, promovendo cidadania.

Santo André lidera ranking de saneamento dentre as cidades do ABC. Quais os avanços dessa área durante seus mandatos?

Os resultados da cidade têm melhorado ano a ano, principalmente após a concessão dos serviços de água e esgoto para a Sabesp, em acordo celebrado em 2019. Naquele ano, com dados de 2017, a cidade estava na posição de número 50 no ranking. Agora, aparece na posição 32, à frente de outros municípios da região.

O Instituto avalia a situação nos 100 municípios brasileiros com maior população. Considerando este critério, o ABC tem quatro cidades. Santo André lidera a lista, seguida de Diadema (40º), Mauá (48º) e São Bernardo (49º).

A Sabesp executa um grande pacote de obras para garantir o abastecimento e colocar fim à falta d’água crônica que vários bairros viviam há décadas. Este foi mais um compromisso com a nossa gente, que tiramos do papel, garantindo melhor qualidade de vida, saúde e respeito ao meio ambiente. Liderar este ranking na região é a consolidação de Santo André como referência em políticas públicas de qualidade. Este trabalho não vai parar. Vamos melhorar ainda mais.

Entre as intervenções realizadas nos últimos três anos estão a implementação de novas adutoras e a ampliação das redes de água.

Qual mensagem o sr deixa para a população neste aniversário de 469 anos?

De agradecimento à nossa gente. Que soube ser resiliente quando nos foi exigido. E unida, quando precisamos ajudar as pessoas que estavam em risco de vulnerabilidade social. Com a pandemia praticamente superada, graças à vacinação, agora, Santo André volta ao seu protagonismo. Vamos voltar a viver a cidade como a nossa gente gosta, quer e precisa. Com oportunidades e estruturação, para nos mantermos neste caminho certo, para um futuro seguro.

Print Friendly, PDF & Email

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*