Minha Cidade, Santo André, Sua região

Paulo Serra lança programa para reestruturar atendimento na saúde

Ana Paula e Serra: “esse programa é uma iniciativa de muita coragem da nossa gestão”. Foto: Ricardo Trida/PSAA Prefeitura de Santo André lançou nesta sexta-feira (28) o primeiro programa que vai reestruturar e modernizar todo o sistema de saúde municipal, o Qualisaúde. A partir da próxima terça, duas Unidades de Saúde, do Jardim Irene e a de Utinga, já começarão a receber inovações, enquanto mantêm o atendimento sem interrupção. O programa de qualificação atuará em todas as áreas da rede, tendo como pilares a melhora estrutural, gestão por processos, gestão do cuidado, valorização do trabalhador e valorização dos usuários.

“Esse programa é uma iniciativa de muita coragem da nossa gestão, porque é algo muito maior do que qualquer outra coisa que fizemos antes e terá grande impacto. Nos últimos oito anos, a qualidade dos serviços municipais caiu drasticamente e nossos munícipes têm reclamado, e com razão, do que está sendo ofertado e ninguém fez nada para mudar algo que mexe na estrutura de toda uma rede. Costumo dizer que é muito fácil inaugurar obras, mas melhorar a vida das pessoas é mais trabalhoso, só que é a razão deste governo e estamos dispostos a fazer isso”, destacou o prefeito Paulo Serra (PSDB).

A informatização da rede, será contemplada no projeto. A ideia é que até 2020 toda a rede esteja integrada por meio de um sistema. “Caso um usuário passe em uma unidade de saúde e venha mudar de endereço, o histórico médico desse paciente não se perderá caso seja atendido em outro equipamento, pois tudo estará registrado num prontuário eletrônico”, explicou.

A principal proposta do governo é aumentar a cobertura da atenção básica, que atualmente é de 25% na cidade. O projeto é que em quatro anos esse número suba para 85%. A meta é que a rede básica seja a porta de entrada para atendimento e que o usuário seja orientado sobre qual tipo de serviço deve procurar em cada situação. “Cerca de 70% dos casos de intervenção hospitalar poderiam ter sido evitados se tratados antes na rede básica. Muitos casos antes de virarem urgências, poderiam ter sido controlados caso houvesse acompanhamento, e para isso, vamos capacitar os profissionais e orientar melhor nossos pacientes”, detalhou a secretária de Saúde, Ana Paula Peña Dias.

Controle

No início do ano, em uma das vistorias, Serra encontrou o almoxarifado central com material recolhido de uma unidade que não o utilizava. “Isso acontece por que não existe um controle organizado, é tudo manual. Por meio de um sistema, será possível saber quantos itens foram enviados para cada equipamento, quanto utiliza por mês e até traçar um perfil dos nossos usuários avaliando comportamentos sazonais, como o aumento pela procura de atendimento em meses de inverno, por conta do tempo seco”, afirmou Paulo Serra.

“Com a implementação do sistema, compraremos medicamentos na quantidade certa, sem ter perdas por vencimento da validade ou excessos, automaticamente utilizando melhor os recursos do município e principalmente, evitando que faltem medicamentos nas farmácias”. A ação também recadastrará toda a população para evitar duplicidade de informações. O número atual de usuários cadastrados é de 663.600 pessoas.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*