Brasileirão, Esportes

Paulo Autuori confirma que deixará o Santos no final do ano: ‘Não quero mais’

Paulo Autuori confirma que deixará o Santos no final do ano: ‘Não quero mais’
Autuori mostrou descontentamento com o presidente José Carlos Peres. Foto: Reprodução

Os bastidores do Santos se agitaram mais uma vez nesta terça-feira (19). Em entrevis­ta coletiva concedida no CT Rei Pelé, o superintendente de futebol Paulo Autuori anunciou que não permanecerá no clube na próxima temporada. Ficará ape­nas até o final deste ano, apesar de seu contrato terminar em dezembro de 2020.

Autuori explicou a decisão, mostrando certo descontentamento com a falta de “estratégia” do presidente José Carlos Peres. “Estarei até dezembro fazendo meu trabalho. Eu me propus a vir aqui (na sala de im­prensa) poucas vezes e já vim três (para “apagar incêndios”). Não quero vir mais. Minha decisão é dezembro. Nenhuma (possibilidade de ficar em 2020)”, disse o dirigente.

Autuori afirmou que o técnico argentino Jorge Sampaoli vai se posicionar sobre 2020, mas ainda não há nada marcado neste sentido. O superintendente de futebol terminará o seu trabalho neste ano e ajudará no planejamento da próxima temporada. “Eu não sei se ele (Sampaoli ficará), mas minha decisão é que eu estarei no clube até dezembro fazendo meu trabalho. Eu já defini”, completou.

Um dos problemas com Pe­res foi uma declaração recente do presidente. No último domingo, o dirigente pediu que o meia peruano Cueva, afastado do time desde setembro, fosse escalado para que se valorizasse – o clube pretende vendê-lo em janeiro. “Só tem uma pessoa que pode colocar ou tirar jogador: o treinador. Isso vou defender até a morte. Fui treinador até pouco tempo atrás e jamais vou permitir esse tipo de interferência à autoridade e a liberdade que o treinador tem”, disse.

Autuori foi contratado pelo Santos em julho deste ano e já era o dirigente do futebol com mais tempo no cargo na gestão de Peres. Antes dele, o clube teve Gustavo Vieira de Oliveira (que ficou no clube por 45 dias), Ricardo Gomes (dois meses) e o ex-jogador Renato, que se afastou pouco tempo após assumir a função e retornou ao clube como coordenador técnico de desenvolvimento.

Print Friendly, PDF & Email

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*