Brasileirão, Esportes

Para volante do Palmeiras, o que mais importa é não correr riscos

Para volante do Palmeiras, o que mais importa é não correr riscos
Thiago Santos negou clima de ‘já ganhou’ e pediu atenção na reta final do Brasileiro. Foto: Cesar Greco/Agência Palmeiras

Em entrevista coletiva concedida na última quarta-feira (14), após a goleada por 3 a 0 sobre o Fluminense, o técnico Luiz Felipe Scolari relembrou como construiu sua trajetória de sucesso na carreira. “Todos que me conhecem sabem que eu sou um treinador de resultados”, disse.

Felipão deu a declarção porque, mais uma vez, apesar da campanha de 19 partidas de invencibilidade, paira sobre sua equipe a crítica de que o futebol é eficiente, mas fica longe de encantar os torcedores.

Para o elenco palmeirense, jogar feio ou bonito pouco importa. O que mais os atormenta é seguir uma ideia de jogo que dá poucas oportunidades aos rivais. “O que importa é vencer. Não adianta querer dar show todo jogo e não ganhar nada. Nosso jogo precisa ser seguro. Se jogar seguro é jogar feio, então a gente continua desse jeito e ganhando”, afirmou o volante Thiago Santos.

Com essa forma de encarar os oponentes, o Palmeiras alcançará a maior sequência invicta da história do Campeonato Brasileiro por pontos corridos, disputado desde 2003. Caso chegue a 20 partidas sem perder, baterá a marca de 19 confrontos do arquirrival Corinthians, atingida no ano passado.

Até isso, segundo o meio-campista, de nada adiantará se o Palmeiras não confirmar com o título. “Todos nós pensamos em fazer história no clube. Ganhando, seria a maior invencibilidade do campeonato. Pensamos na vitória, em ganhar o jogo para, o mais breve possível, poder comemorar”, disse o camisa 5.

Segundo Thiago Santos, o fator emocional tem pesado um pouco mais com a proximidade da  confirmação do título, o que pode acontecer na próxima quarta-feira, contra o América-MG, no Allianz Parque.

Para controlar a ansiedade, os jogadores afirmam estar vacinados contra o clima de euforia que já tomou conta dos torcedores palmeirenses.

“Se você perguntar, (vai ouvir que) qualquer um está muito ansioso, pois é um título de campeão brasileiro. Porém, temos de pensar jogo a jogo, não podemos comemorar antes porque não está nada ganho. Precisamos pensar que, contra o Paraná, será um grande jogo, uma final”, disse o volante.

 

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*