Comportamento, Serviços

Para influenciador digital do ABC, Estado não preparou aluno para ensino a distância

No Brasil, bem como em diversos países, as aulas presenciais estão suspensas por conta da pandemia de coronavírus e o ensino a distância se tornou solução emergencial para evitar prejuízos maiores no ano letivo.

Apesar dos esforços do poder público, o ensino remoto, por mais importante que seja no atual contexto, tem limitações e não atende crianças e jovens brasileiros da mesma maneira, fruto da desigualdade no ensino que persiste no Brasil.

Entretanto, para Leandro Marques, vencedor do Prêmio Google Influenciadores digitais da educação e palestrante sobre o protagonismo juvenil nas escolas do ABC, é possível que os alunos gostem das aulas virtuais, o que pode estimular a compra de computadores básicos para os jovens.

“Acredito que seja uma experiência. Talvez os alunos gostem e isso estimule a compra de computadores básicos para os jovens. Porém, a probabilidade é que a reclamação só aumente o governo veja que a população não gosta de EAD, ignorando o seu dever de preparar o aluno para essas situações”, pontuou.

Para Marques, o Estado pecou em não ter preparado o aluno para um momento como este. Segundo o influenciador digital, o Brasil ignora totalmente o ensino tecnológico e a pandemia serviu para mostrar o des­preparo do país em vários quesitos. “No Brasil, os alunos trabalham muito pouco com computador ou em laboratórios. Quando tra­balham, os estudantes não têm nenhum equipamento de ponta. Se compararmos com a Finlândia ou países como este que estão sempre entre os primeiros na classificação do PISA, estamos atrasadíssimos, já que os alunos são introduzidos desde pequenos nesses recursos.”

Segundo Marques, para que o ensino a distância funcione é necessário disciplina, hoje difícil de ser mantida dentro das salas de aula. “Os professores se adaptam rapidamente, creio que a aula pode até fluir melhor. A questão é saber se os alunos estão assistindo”, pontuou.

O influenciador afirmou que os alunos têm muitas opções para manter o estudo nessa época, como por exemplo, cursos online, muitos dos quais oferecidos pelo governo. “O YouTube também dispõe de recursos incríveis. Porém, o ideal é que o aluno faça um cronograma de temas para estudo. Principalmente aquele aluno que vai prestar o ENEM e precisa de um estudo focado para a prova”, destacou.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*