Economia, Notícias

Para acabar com estoques, varejo realiza liquidações com descontos de até 70%

Para acabar com estoques, varejo realiza liquidações com descontos de até 70%
Temporada de descontos pós-Natal deve se estender até o próximo mês. Foto: Arquivo

Depois das comemorações do Natal, shoppings centers e redes varejistas apostam em liquidações para queimar os estoques. A temporada de saldões começou esta se­mana e se estenderá até janeiro, mas o consumidor deve ficar atento às finanças pessoais antes de aproveitá-los, devido à concentra­ção de des­pesas nos primeiros meses do ano.

O Shopping Metrópole, de São Bernardo, realiza a campanha Banho de Descontos até domingo (30). Roupas, aces­­sórios, eletroeletrônicos, li­vros e brinquedos, entre ou­tras ca­tegorias, estão em pro­mo­ção – o empreendimen­to não divulgou o porcentual má­xi­mo de redução nos preços.

No Carrefour, a campanha Liquida Geral foi dividida em dois períodos. O primeiro vai até o último dia deste ano e o segundo ocorre de 2 a 6 de janeiro. A rede varejis­ta promete descontos de até 70%, especialmente nos seto­­res de eletro, bazar e têxtil.

O Magazine Luiza vai rea­­lizar, no dia 4 de janeiro, a 26ª edição de sua Liquidação Fantástica. O saldão terá descontos de até 70%, que costumam gerar filas dias an­­tes da aber­tura das lojas. Nes­te ano, o evento terá trans­­missão nas redes sociais.

No Pontofrio, o Saldão de Natal vai até o dia 31 e ofe­rece descontos de até 60% no site. “Após o Natal, os clientes esperam encontrar preços me­lhores e até reservam parte do 13º salário para aprovei­tar as li­quidações”, disse Jor­ge Faiçal, diretor executivo comercial da Via Varejo, empresa que administra as redes Pontofrio e Casas Bahia.

Para aqueles que desejam aproveitar as liquidações, a Fun­­dação Procon-SP alerta que, antes de ir às compras, o consumidor deve separar re­serva financeira para cobrir despesas comuns de início de ano, como o Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), Impos­to Predial e Territorial Urba­no (IPTU), material e unifor­me escolar, entre outras.

“O ideal é evitar com­pras por impulso e limitar-se ao ne­cessário, evitando financia­men­­tos com juros, uso do che­que especial e rotativo do cartão de crédito”, diz o Procon-SP.

Na hora da compra é importante verificar o estado do produto, seu funcionamento e se o conteúdo confere com os dados apontados na embalagem. No caso de itens de mostruário ou vendidos com pequenos defeitos, deve-se exigir que a loja coloque detalhadamente na nota fiscal, recibo ou pedido os problemas apresentados. Para es­ses problemas específicos não há garantia.

O Procon-SP alerta ainda que a lei não obriga a loja a trocar o produto porque não agradou ou o tamanho é errado. Nesses casos, o estabe­lecimento só terá de substituí-lo caso tenha prometido. Por isso, o consumidor deve solicitar esse compromisso por escrito, em etiquetas ou nota fiscal, por exemplo.

 

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*