Esportes, Paulistão

Palmeiras volta a estádio onde sofreu goleada histórica

Palmeiras volta a estádio onde sofreu goleada histórica
Lucas Lima é assediado pela torcida no desembarque em Rio Preto. Foto: Cesar Greco/Agência Palmeiras

Depois de cinco anos, o Palmeiras volta ao estádio José Maria de Campos Maião, em Mirassol, situado a 453 km da Capital, para enfrentar o Leão, como é conhecido o time da cidade, hoje (10), a partir das 19h.

A torcida local sonha com a repetição da histórica goleada de março de 2013, quando o Mirassol fez 6 a 2 no alviverde nos primeiros 45 minutos de partida. Porém, realidade atual dá muito mais tranquilidade ao torcedor do Palmeiras.

A equipe vai ao Interior paulista para defender seu aproveitamento de 100% no Campeonato Paulista.

Em sua primeira temporada no comando do Palmeiras, o técnico Roger Machado deve manter a base do time.

O meio de campo titular parece estar cada vez mais definido, com Felipe Melo (mais próximos dos zagueiros e com a possibilidade de lançamentos longos), Willian, Tchê Tchê (que tem sido um discreto mais eficiente passador) e Lucas Li­ma. À frente figuram Borja e Dudu.

Se, do meio para frente, o estilo de toque de bola de Roger Machado vai sendo consolidado, atrás, a zaga também parece entrosada. O time sofreu três gols até agora na competição.

Roger deve promover uma mudança na lateral esquerda. Michel Bastos pode ser a novidade no lugar de Victor Luís. Contratado para a posição, Diogo Barbosa ainda se recupera de lesão.

Em 2013, mesmo com a goleada sobre o Palmeiras, o Mirassol caiu para a Série A2, como é chamada a segunda divisão do Estado. O time voltou só em 2017 e conseguiu ficar na elite. Neste ano, é o último colocado do Grupo D, com cinco pontos ganhos.

Sombra

Versátil, o meio-campista venezuelano Alejandro Guerra pode ser mais um jogador a virar uma “sombra” para os companheiros do setor ofensivo.

No ensaio tático, realizado ontem (9) de manhã na Academia de Futebol, Guerra foi posicionado na função de centroavante e revezou com o atacante colombiano Borja no trabalho de movimentação contra os defensores. Depois, fez treino de finalizações.

O que deixou o técnico Roger Machado tentado a fazer a nova experiência é que, no jogo-treino da última quarta-feira, contra o São Bernardo (vitória alviverde por 1 a 0), na Academia, Guerra foi um dos destaques da equipe.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*