Esportes, Futebol, Libertadores

Palmeiras vence Peñarol de virada, e jogo termina em briga

O Palmeiras venceu no Uruguai e está quase classificado. Foto: Divulgação/PeñarolO Palmeiras venceu o Peñarol por 3 a 2 ontem (26), em partida válida pela quarta rodada da fase de grupos da Libertadores. A partida terminou em violência generalizada, com jogadores trocando agressões, assim como os torcedores nas arquibancadas do estádio Campeón del Siglo, em Montevidéu.

Pressionado pela desclassificação no Paulista, o técnico Eduardo Baptista tentou inovar e escalou três zagueiros de ofício no time titular pela primeira vez. Debaixo de críticas, recuou o time.

Desacostumados com o esquema, Edu Dracena, Mina e Vitor Hugo erraram diversas vezes no posicionamento. O meio-campo do time, composto por Felipe Melo, Guerra e Michel Bastos, teve os jogadores distantes entre si e pouco criou, deixando isolados os  Borja e Róger Guedes.

Tudo deu errado no primeiro tempo, e o time saiu com desvantagem de 2 a 0.

Baptista, então, voltou ao habitual 4-1-4-1 no segundo tempo e colocou o atacante Willian, 30 anos, que “salvou a pele” do treinador.

Por uma ironia do destino, Willian – acostumado a ser coadjuvante ao longo da carreira – decidiu virar protagonista no time alviverde. Ontem, entrou no segundo tempo e anotou dois gols na virada palmeirense por 3 a 2. É o artilheiro do time na temporada, com oito gols marcados, o dobro do badalado Borja.

Aos quatro minutos, deu chapéu em adversário e acertou chute no ângulo adversário, dando início à reação. Aos 17, Mina cabeceou cruzamento e igualou o placar.

Dez minutos depois, Wil­lian recebeu passe e, sem goleiro, sacramentou a virada. O lateral Jean foi autor das três assistências para gol.

Com o resultado, o Palmeiras chegou a dez pontos e praticamente garantiu a classificação para a próxima fase. Na próxima rodada, o Palmeiras enfrenta o Jorge Wilstermann na próxima quarta-feira, na Bolívia.

Violência

Ao fim do jogo, jogadores de Palmeiras e Peñarol trocaram agressões no gramado e nos vestiários. O volante Felipe Melo – que, no passado, deu declaração polêmica sobre uruguaios – deu um soco no rosto de um adversário. Segundo o canal SporTV, Fernando Prass saiu de campo com a boca sangrando e Willian teve ferimentos no rosto.

Nas arquibancadas, torcedores uruguaios tentaram invadir o setor em que estavam os palmeirenses e atiraram objetos como latas de lixo. (Folhapress)

 

PEÑAROL  2 X 3 PALMEIRAS

Gols: Affonso, aos 12, e Arias, aos 39 do 1º tempo. Willian, aos 4; Mina, aos 17, e Willian, aos 27 minutos da 2ª etapa. Árbitro: Enrique Cáceres (PAR). Estádio: Campeón Del Siglo, em Montevideu, no Uruguai, ontem à noite.

PEÑAROL

Guruceaga; Petryk (Rossi), Quintana, Villalba e Hernández; Alex Silva (Ángel Rodríguez), Nandez, Novick (Dibble), C.Rodríguez;  Arias e Affonso.  Técnico: Leonardo Ramos.

PALMEIRAS

Prass; Mina, Dracena e Vitor Hugo; Jean, Felipe Melo, Guerra e Egídio; Michel Bastos; Róger Guedes (Keno) e Borja. Técnico: Eduardo Baptista.

 

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*