Brasileirão, Esportes

Palmeiras terá valorização ao renovar patrocínio

Palmeiras terá valorização ao renovar patrocínio
Um dos objetivos do clube é segurar Dudu, que voltará a ser alvo de propostas. Foto: Cesar Greco/Agência Palmeiras

O Palmeiras vai definir nos próximos dias com a Crefisa os valores do novo contrato de patrocínio master do clube. Após reeleger no fim de semana o presidente Mauricio Galiotte e garantir o décimo título do Campeonato Brasileiro, o clube se dedica agora a concluir o acordo com a empresa para receber por temporada um valor próximo dos R$ 80 mi­lhões, portanto, acima dos R$ 78 milhões pagos este ano.

A reportagem apurou que o formato do contrato deve ser parecido com o do último acordo, assinado em fevereiro de 2017. Para cada temporada haverá pequeno acréscimo do valor investido pela empresa. No ano passado, por exemplo, a Crefisa injetou R$ 72 milhões, para depois repassar R$ 78 milhões.

A segunda renovação do contrato de patrocínio com a parceira, presente no clube desde 2015, contará também com premiação por títulos. O acordo terá detalhes sobre quanto o Palmeiras receberá em dinheiro caso conquiste cada um dos diferentes torneios em disputa na temporada. O novo pacote de recompensas não está definido, mas deve ser similar ao atual.

O acordo em vigor estipula o pagamento de R$ 10 mi­lhões ao clube por ter vencido o Campeonato Brasileiro. Se tivesse vencido também a Libertadores e a Copa do Brasil (em ambos parou na fase semifinal), o clube teria recebido da Crefisa R$ 18 mi­lhões pelas duas competições.

A continuidade do patrocínio está encaminhada desde as últimas semanas. O Palmeiras e a Crefisa aguardaram principalmente a eleição presidencial no clube para avançar com os detalhes finais. Como Galiotte se reelegeu no último sábado, o acerto verbal tra­tado com a presidente da empresa, Leila Pereira, está para se tornar oficial.

O patrocínio da marca está na camisa do Palmeiras desde 2015. Naquela ocasião, assim como no ano seguinte, o repasse foi de R$ 66 mi­lhões. O aumento da cota para o próximo exercício, na casa dos R$ 80 milhões/ano, amplia a liderança da parceria como a maior da América do Sul para uma equipe de futebol.

A negociação em andamento trata apenas de patrocínio, sem incluir a discussão sobre a chegada de reforços bancados pela Crefisa. Desde a chegada da patrocinadora ao Palmeiras, o clube conquistou uma Copa do Brasil e dois Brasileiros.

PLANO

O Palmeiras vai usar o va­lor para tentar manter o elenco e trazer reforços pontuais. Segurar o atacante Dudu é um dos objetivos, já que o jogador deve receber novas propostas milionárias da China. O clube espera ainda fazer a compra efetiva do lateral-direito Mayke com o Cruzeiro e resolver algumas carências no plantel.

A principal meta é trazer um atacante veloz com a cara­c­terística de jogar pelos lados de campo. O Palmeiras considera que, ao ter vendido Keno para o futebol egípcio, não tem mais no grupo atletas com esse perfil.

Nos próximos dias, a diretoria também espera renovar o contrato do diretor de futebol, Alexandre Mattos. Trazido no final de 2014 do Cruzeiro, o dirigente desperta o interesse do Flamengo, mas deve assinar novo vínculo com o Palmeiras antes mesmo da eleição presidencial no clube carioca, mar­cada para 8 de dezembro. Mattos e Galiotte já começaram a tratar da re­novação nos últimos dias.

Até o momento, o clube já fechou a contratação do atacante Arthur, 20 anos, do Ceará, e tem a prioridade de compra do meia-atacante Zé Rafael, 25, do Bahia.

 

Edu Dracena quer renovar contrato e projeta mais títulos no Palmeiras

Atleta do Palmeiras desde 2016, o zagueiro Edu Dracena tem contrato com o clube até o final deste ano. No entanto, o beque de 37 anos quer prolongar o vínculo e conquistar mais títulos. Dracena já tem dois Campeonatos Brasileiros com a camisa verde.

“Há um mês, falei com o Alexandre (Mattos) e ele deixou bem claro que a gente conversaria depois da conquista do título. Minha intenção é permanecer no clube pela identificação que tive, por já estar adaptado, pela estrutura… Minha prioridade é ficar”, disse.

Segundo o zagueiro, o decacampeonato foi emblemático e de muita importância para todo o elenco. Caso fique em 2019, a meta é aumentar o número de taças.

“Estou aqui sempre para ajudar. Desde a primeira vez que vesti a camisa do Palmeiras, disse que viria para ganhar títulos. Foi o segundo e, quem sabe, pode vir mais.”

 

Print Friendly, PDF & Email

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*