Esportes, Libertadores

Palmeiras terá força máxima contra o Peñarol

Lateral Jean está recuperado de fissura no pé direito. Foto: Cesar Greco/FolhapressO Palmeiras contratou dez jogadores para esta temporada, a maioria deles cobiçados por adversários na América do Sul. Tanta pujança tem sido explorada pelo técnico Eduardo Baptista, que ensaiou diferentes versões do seu 4-1-4-1 ao longo da temporada ao escalar atletas diferentes e, com isso, modificar o perfil da equipe.

Hoje (12), contra o Peñarol-URU pela terceira rodada da Copa Libertadores, no Allianz Parque, Baptista terá a chance de repetir a escalação da equipe pela primeira vez no ano em 16 jogos. Sem jogadores suspensos ou lesionados (exceto aqueles que devem ficar a maior parte do temporada fora, como Moisés e Thiago Martins), o treinador terá vasto leque de opções a sua disposição.

Ao longo do ano, Baptista tem alternado escalações no meio-campo, moldando a equipe de acordo com os rivais e as necessidades do jogo.

Diante do Novorizontino (3 a 0), pelo Campeonato Paulista, Guerra ficou com a vaga do atacante Róger Guedes, suspenso, e foi bem.

Por isso, mesmo com Guedes à disposição, a tendência é de que o meia venezuelano permaneça no time titular.

Outra boa novidade é o lateral direito Jean, recuperado de fissura no pé direito. O jogador reassume a posição que vinha sendo de Fabiano.

Por causa da lesão, o camisa 2 do Palmeiras ficou cinco jogos afastado. Perdeu os duelos contra Mirassol, Audax e Ponte Preta, na primeira fase do Paulistão, além das duas partidas contra o Novorizontino, válidas pelas quartas de final da competição estadual.

Verón

O volante Felipe Melo tem uma inspiração. Trata-se do volante e meia argentino Juan Sebastián Verón, de 42 anos, atualmente presidente e atleta do Estudiantes-ARG.

O argentino, que chegou a se aposentar e desistiu de largar os campos no início deste ano, já faturou uma Libertadores, em 2009, pelo Estudiantes, dentro do Mineirão, contra o Cruzeiro.

“Procuro errar o mínimo de passes possível, como Verón. Esse é o diferencial dele. Ele também não é aquele jogador que só dá passe para trás. toca para o lado e para frente. Eu me espelho muito nele. Passe longo e curto têm muita eficiência”, afirmou o camisa 30.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*