Copa do Brasil, Esportes

Palmeiras sofre, mas vira e abre vantagem na Copa do Brasil sobre a Juazeirense

Palmeiras sofre, mas vira e abre vantagem sobre a Juazeirense na Copa do Brasil
Scarpa (dir.) comemora seu gol na vitória palmeirense na Arena Barueri. Foto: Cesar Greco/Agência Palmeiras

O Palmeiras sofreu mais do que havia planejado diante da Juazeirense, equipe da quarta divisão nacional, na estreia na terceira fase da Copa do Brasil. Com pouca inspiração e falta de criatividade diante de um rival bem organizado defensivamente, o bicampeão da América venceu por 2 a 1 neste sábado (30), na Arena Barueri. Com isso, a equipe de Abel Ferreira leva a vantagem mínima para o jogo da volta, que será realizado no dia 11 de maio, em Londrina (PR).

Embora o Palmeiras tenha acumulado títulos nas últimas temporadas, o ponto fora da curva foi a eliminação diante do CRB nesta mesma fase da Copa do Brasil no ano passado. O torcedor ficou ainda mais ressabiado quando a Juazeirense abriu o placar aos 4 minutos. Após perder a bola no ataque, em cobrança de escanteio, o time de Abel Ferreira demorou para se recompor e permitiu o contra-ataque. Nildo Petrolina abriu o placar e calou a Arena Barueri. Foi o mesmo atacante que garantiu a classificação em cima do Vasco na fase anterior.

Cascudo, o Palmeiras não se abalou. A dúvida do torcedor sobre se o vexame de 2021 se repetiria logo se dissipou. O time continuou com maior posse de bola – como já acontecia antes de levar o gol – e procurou o empate apoiado na sua superioridade técnica e tática. Vale lembrar que o rival disputa a Série D do Campeonato Brasileiro e ainda não venceu na competição.

Atletas que foram poupados na quarta-feira, como Dudu, Veiga, Zé Rafael e Marcos Rocha, foram escalados. Com isso, o time se impôs com facilidade. O empate veio oito minutos depois. Curiosamente pelo mérito de um jogador reserva. Foi Rafael Navarro quem construiu o lance. Roubou a bola na intermediária, driblou dois defensores e deixou Breno Lopes sozinho, com o gol vazio, para marcar.

O Palmeiras continuou com o domínio do jogo, mas finalizou pouco. Faltou agressividade e criatividade na busca do gol. A melhor chance para a virada só veio aos 43, quando Navarro tocou na pequena área e o goleiro Calaça salvou. Parte das dificuldades que o Palmeiras encontrou no jogo veio do paredão defensivo bem montado pelo time baiano. Fechando os espaços e marcando de perto as peças-chave como Dudu e Veiga, os baianos sofreram pouco. Não houve a pressão avassaladora que se esperava.

Pensando na preservação do elenco e também em alternativas ofensivas, Abel fez três mudanças de uma vez. Uma delas – a entrada de Gustavo Scarpa no lugar de Atuesta – foi decisiva para a vitória. Diante do bloqueio rival, Scarpa arriscou chute de fora da área, de longe, e acertou o ângulo aos 25 minutos. Golaço. O chute de longa distância foi o toque de inventividade que faltou ao time.

PALMEIRAS 2 X 1 JUAZEIRENSE

Gols: Nildo Petrolina, aos 4, e Breno Lopes, aos 12 minutos do primeiro tempo. Gustavo Scarpa, aos 25 da segunda etapa. Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ). Estádio: Arena Barueri, em Barueri (SP).

PALMEIRAS

Marcelo Lomba; Marcos Rocha (Mayke), Gustavo Gómez, Murilo e Jorge (Piquerez); Atuesta (Gustavo Scarpa), Zé Rafael, Raphael Veiga e Rafael Navarro (Rony); Breno Lopes (Gabriel Veron) e Dudu. Técnico: Abel Ferreira.

JUAZEIRENSE

Calaça; Dadinha, Eduardo, Wendell e Daniel Nazaré; Clébson (Emilio), Waguinho, Patrik (Thalison) e Nildo (Érico); Deysinho (Anicete, depois Tauan) e Ian Augusto. Técnico: Quintino Barbosa.

Print Friendly, PDF & Email

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*