Esportes, Libertadores

Palmeiras só empata e é eliminado da Libertadores

Palmeiras só empata e é eliminado da Libertadores
Deyverson lamenta a eliminação palmeirense da Libertadores no Allianz Parque. Foto: Thiago Bernardes/FramePhoto/Folhapress

O sonho do Palmeiras de chegar à decisão da Copa Li­bertadores acabou. Ontem (31), a equipe empatou com o Boca Juniors por 2 a 2, no Allianz Parque, pela segunda partida da semifinal da competição e está eliminado.

Com o resultado, o time argentino avançou à final da competição. Na decisão, enfrentará o River Plate, que venceu o Grêmio por 2 a 1, na terça-feira, em Porto Alegre.

É a primeira vez que os dois clubes argentinos disputam a decisão do torneio. A primeira partida está marcada para a próxima quar­ta-feira (7), em La Bombonera, e a volta ocorre em 28 de novembro.

Porém, a data pode ser mudada. A polícia de Buenos Aires quer adiar o confronto por causa da cúpula do G20 (grupo das 19 maiores economias do mundo mais a União Europeia), que ocorre na capital a partir do dia 30.

Como perdeu o primeiro duelo por 2 a 0, a equipe alviverde precisava vencer por três gols de diferença. Com o apoio da torcida, o time tomou a iniciativa e teve um gol de Bruno Henrique anulado pelo árbitro de vídeo (VAR) no início da partida.

Pouco depois, o Boca Juniors abriu o placar com Ábila. Assim, o Palmeiras precisava fazer quatro gols.

A decepção foi tão grande que alguns torcedores que estavam no Allianz deixaram o estádio no intervalo. Foram xingados por quem estava fora da arena e não havia conseguido ingresso.

No segundo tempo, os palmeirenses se empolgaram e até acreditaram que era possível. Aos sete minutos, Luan empatou. Oito minutos depois, Gómez virou a partida em cobrança de pênalti.

Apesar de virar o marcador, o Palmeiras não conseguia pressionar o Boca Juniors, que controlava o jogo. A esperança do time paulista terminou aos 24 minutos, quando Benedetto recebeu bola e, de fora da área, chutou cruzado para deixar tudo igual.

Quando Benedetto marcou, em lance que foi quase uma fotocópia do que havia feito em La Bombonera, o sentimento passou a ser de resignação.

CONSOLAÇÃO

Sobrou para o Palmeiras ser campeão brasileiro. O time tem quatro pontos de vantagem na liderança, a sete rodadas do final da competição. No sábado receberá o Santos.

O Boca Juniors tem a chance de chegar ao sétimo título e se igualar ao Independiente como maior campeão da Libertadores. O River Pla­te tem três conquistas.

É a primeira vez que dois argentinos decidem a mais importante competição do continente. Será apenas a segunda final de torneios de expressão entre Boca e River na história. Em 1976, decidiram o Campeo­nato Argentino.

 

PALMEIRAS 2 X 2 BOCA JUNIORS

Gols: Ábila, aos 17 do 1º tempo. Luan, aos 7; Gustavo Gómez, aos 15, e Benedetto, aos 25 minutos da 2ª etapa. Ár­bi­tro: Wilmar Roldán (Colômbia). Estádio: Allianz Parque, em São Paulo, ontem à noite.

PALMEIRAS
Weverton; Mayke, Luan, Gustavo Gómez, Diogo Barbosa; Bruno Henrique (Moisés), Felipe Melo (Scarpa), Lucas Lima, Dudu; Willian (Borja), Deyverson. Técnico: Luiz Felipe Scolari.

BOCA JUNIORS
Rossi; Jara, Izquierdoz, Magallán, Olaza; Barrios, Nández, Pérez (Gago); Villa, Ábila (Benedetto), Pavón (Zárate). Técnico: Gustavo Schelotto.

 

Felipão: ‘entregar para eliminar o Boca na 1ª fase seria vergonha mundial’

O técnico Luiz Felipe Scolari afastou completamente a ideia de que teria sido melhor entregar uma partida na fase de grupos da Libertadores para eliminar precocemente o Boca Juniors, avaliando a possibilidade como uma “vergonha mundial”.

O treinador considerou justa a classificação da equipe argentina à final, concretizada ontem (31) com um empate por 2 a 2 com o Palmeiras no Allianz Parque, após vencer o jogo de ida por 2 a 0 na Bombonera.

“Seria uma vergonha, uma vergonha mundial. O time do Palmeiras, ou qualquer outro time, tem de fazer seu futebol, independentemente de quem seja. Classificou o Boca pela sua competência e qualidade. Jamais passaria pela cabeça de qualquer técnico pensar em fazer alguma coisa errada. Temos de ficar felizes porque o Boca foi superior. Palmas a eles”, disse Felipão.

 

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*