Esportes, Libertadores

Palmeiras encerra série negativa, goleia e tem melhor campanha da Libertadores

Palmeiras encerra série negativa, goleia e tem melhor campanha da Libertadores
Raphael Veiga comemora o gol que abriu o caminho para a goleada alviverde. Foto: Cesar Greco/Agência Palmeiras

Pelo terceiro ano consecutivo, o Palmeiras é o melhor time da fase de grupos da Copa Libertadores. Nesta quarta-feira (21), o time assegurou essa condição ao golear o Tigre por 5 a 0, no Allianz Parque, pela rodada final de seu grupo, a B, também pondo fim a uma série de quatro derrotas na temporada.

O Palmeiras fez campanha praticamente perfeita em seu grupo, com 16 pontos e 14 gols de saldo. O desempenho lhe garante a vantagem do mando de campo no jogo de volta do mata-mata da Libertadores até as semifinais, sendo que o primeiro adversário, o das oitavas, será conhecido na sexta-feira, por meio de sorteio.

Para triunfar na noite desta quarta, o Palmeiras aproveitou-se da fragilidade do Tigre, pior time da fase de grupos da Libertadores, com apenas um ponto e saldo negativo de 14 gols. Ainda contou com boa atuação coletiva na etapa final para definir a goleada. Assim, conseguiu o primeiro triunfo sob o comando de Andrey Lopes, o Cebola, que assumiu o comando do time provisoriamente, após a saída de Vanderlei Luxemburgo, e havia perdido na sua estreia como interino, para o Fortaleza.

É possível que Cebola dirija o Palmeiras por mais algum tempo, especialmente após a recusa de Miguel Ángel Ramirez em assumir o time. O próximo jogo com o interino no banco de reservas ocorre domingo, fora de casa, diante do Atlético-GO, pelo Brasileirão.

O JOGO

Cebola colocou o Palmeiras com algumas novidades em campo, com Gabriel Menino na lateral direita e Danilo no meio-campo, na vaga de Patrick de Paula. No setor ofensivo, apostou em Wesley e Gabriel Veron, compondo o trio de atacantes com Luiz Adriano. O problema é que as mudanças não melhoraram o nível recente de atuações do time. Como o Tigre não conseguiu exibir intensidade no ataque, o primeiro tempo foi sonolento.

A exceção foram os minutos iniciais, quando a equipe argentina adiantou a marcação e provocou erros de Viña, o que rendeu um cartão para ele e uma chance de gol para a equipe argentina. Ficou nisso, pois o Tigre pouco fez e o Palmeiras era lento na saída de jogo, desorganizado e pouco criativo, a não ser por raras investidas de Gabriel Veron e Wesley pelas pontas, além de algumas tentativas em cobranças de falta.

Assim, só uma jogada iniciada por um chutão de Weverton para buscar Wesley mudou esse cenário. Aos 34 minutos, ele arrancou pela esquerda após ganhar disputa pelo alto e cruzou rasteiro. A bola ainda desviou na marcação antes de ficar com Raphael Veiga, livre, bater para fazer 1 a 0, chegando ao seu sexto gol em 2020.

Mesmo em vantagem, o Palmeiras voltou mais atento para o segundo tempo, com maior aproximação entre os jogadores do ataque. Foi suficiente para definir logo a vitória. Em nova jogada iniciada por lançamento longo de Weverton, Gabriel Menino sofreu pênalti, mas Zenobio defendeu a cobrança de Luiz Adriano. No escanteio, aos 8 minutos, Gustavo Gómez cabeceou firme para fazer 2 a 0.

O gol devolveu o jogo à letargia, alterada para o Palmeiras marcar pela terceira vez, após Luiz Adriano disputar a bola na entrada da área, Wesley ficar com a sobra e dar um toque para Zé Rafael finalizar rasteiro, aos 20 minutos.

Estava fácil, tanto que mesmo jogando em ritmo lento, o Palmeiras logo fez mais um, também após recobrar as energias depois das substituições. Dessa vez, Danilo lançou Rony, que cruzou para Gabriel Veron, sozinho, fazer 4 a 0 aos 29.

O Palmeiras permaneceu no campo de ataque até o final e, aproveitando-se do cansaço do Tigre, marcou outra vez, com Rony, de chapa, completando cruzamento de Viña: 5 a 0, aos 35 minutos, para o melhor time da fase de grupos da Libertadores.

 

PALMEIRAS 5 X 0 TIGRE

Gols: Raphael Veiga, aos 35 minutos do 1º tempo; Gustavo Gómez, aos 8; Zé Rafael, aos 20; Gabriel Verón, aos 29; e Rony, aos 35 minutos da 2ª etapa. Árbitro: Esteban Ostojich (Fifa/Uruguai). Estádio: Allianz Parque, em São Paulo.

PALMEIRAS

Weverton; Gabriel Menino (Mayke), Gustavo Gómez (Emerson Santos), Felipe Melo e Viña; Danilo, Zé Rafael (Ramires) e Raphael Veiga; Wesley (Rony), Gabriel Veron e Luiz Adriano (Willian). Técnico: Andrey Lopes (interino).

TIGRE

Zenobio; Galmarini, Giacopuzzi, Ezequiel Rodríguez (Román Martínez) e Leizza (Becker); Monteseirín, Agustín Cardozo, Melivilo, Morales e Gallardo (Bolaño); Magnín (Kestler). Técnico: Néstor Gorosito.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*