Brasileirão, Esportes

Palmeiras e São Paulo voltam a brigar pelo título após 10 anos

Palmeiras e S.Paulo voltam a brigar pelo título após 10 anos
Diego Aguirre e Felipão darão prosseguimento à rivalidade iniciada em 2015. Fotos: Jales Valquer/FramePhoto/Folhapress e Ricardo Moreira /Fotoarena/Folhapress

Há uma década, nesta mes­ma altura do Brasileirão, São Paulo e Palmeiras brigavam na parte de cima da tabela em busca do título nacional. O cenário se repete e cerca o clássico de hoje (6), no Morumbi.

O Palmeiras iniciou a 28ª rodada na liderança, com 53 pontos, mesma pontuação do vice Internacional, mas supera os gaúchos no saldo de gols. Com 52 pontos, o São Paulo precisa da vitória para não se afastar da briga pela liderança, perdida no último jogo.

Em 2008, também na 28ª rodada, a equipe alviverde li­derava o Brasileiro com 50 pontos, enquanto o time tricolor ocupava a quinta posição, com 46, empatado com Cruzeiro, o terceiro, e Flamengo, o quarto. Uma diferença maior para o líder do que a atual.

Na época, o segundo turno do campeonato foi marcado pela reação do time do Morumbi, que não demorou para deixar o Palmeiras e os outros rivais pelo caminho.

Nas 11 rodadas seguintes, o Tricolor conquistou 29 pontos dos 33 possíveis e sagrou-se campeão nacional, o terceiro consecutivo sob o comando do técnico Muricy Ramalho.

“Em 2008, o time do tricampeonato não era tecnicamente o melhor. Os dois times mais fortes eram Palmeiras e Grêmio. Viemos por fora e conquistamos o título”, disse Muricy Ramalho à reportagem.

O Palmeiras, que vivia um jejum de 14 anos sem o título nacional, deixou escapar a ponta e terminou em quarto. Nas mesmas 11 rodadas que o rival usou para chegar à conquista, o clube alviverde somou apenas 15 pontos.

“Outro detalhe importante é que não liderávamos a competição. Quando você lidera, vira o alvo. Ficávamos atentos ao movimento dos líderes e como poderíamos alcançá-los”, revelou o ex-treinador, hoje comentarista da TV Globo e dos canais SporTV.

Naquela edição, São Paulo e Palmeiras se enfrentaram pela 30ª rodada, no Parque Antárctica. Os são-paulinos abriram 2 a 0 no placar com Rogério Ceni, de pênalti, e Dagoberto. Kleber e Leandro marcaram no segundo tempo e deixaram tudo igual.

Em caso de vitória, o Palmeiras reassumiria a liderança, o que não conseguiu mais até o fim do campeonato. O São Paulo ficou em quarto com o empate, mas venceu sete dos oito jogos restantes depois do clássico e levantou a taça depois de superar o Goiás, em Brasília, na última rodada.

Em 2008, Diego Souza defendia o Palmeiras e foi expulso no clássico disputado no Parque Antártica. Hoje, é o artilheiro são-paulino no Brasileiro, com 10 gols. Reserva no Palmeiras, Jean era titular da equipe tricolor e formava com Hernanes a dupla de volantes.

Em 2009, o Palmeiras voltou a sonhar com o título. Assumiu a liderança pela primeira vez na 15ª rodada e caiu para o segundo lugar na 19ª. No returno, voltou à ponta da tabela na 21ª rodada e ficou até a 33ª. A equipe caiu de rendimento na reta final e ficou fora até da zona de classificação para a Libertadores.

Hoje, o time tricolor terá a volta do meia-atacante Everton, recuperado de lesão após dois jogos fora. O Palmeiras deverá ter em campo a equipe ti­tular, com os atletas que jogam a Libertadores.

 

SÃO PAULO X PALMEIRAS

Ár­bi­tro: Wilton Pereira Sampaio (GO). Estádio: do Morumbi, em São Paulo, às 18h. TV: pay-per-view.

SÃO PAULO
Sidão; Bruno Peres, Arboleda, Anderson Martins, Reinaldo; Jucilei, Hudson, Nenê, Everton; Rojas, Diego Souza. Técnico: Diego Aguirre.

PALMEIRAS
Weverton; Mayke, Luan, Gustavo Gómez, Victor Luis; Felipe Melo, Bruno Henrique, Lucas Lima; Willian, Deyverson, Dudu. Técnico: Luiz Felipe Scolari.

 

Diego Aguirre já derrotou Felipão em Gre-Nal do Gauchão de 2015

Os treinadores Diego Aguir­re e Luiz Felipe Scolari vão dar continuidade, hoje (6), no Choque-Rei, a uma rivalidade pessoal que começou em 2015, quando a dupla trabalhava em Porto Alegre. O uruguaio treinou o Inter. O gaúcho, o Grêmio.

No pequeno histórico entre ambos, Diego Aguir­re leva vantagem. O uruguaio venceu um dos três confrontos entre eles, por 2 a 1, no Beira-Rio. O resultado garantiu a taça do Campeonato Gaúcho da­quele ano ao Colorado.

Antes, no Gre-Nal de ida da final, os times haviam empatado por 0 a 0. Este placar foi o mesmo de jogo na fase de classificação do Estadual.

O Choque-Rei será o segundo clássico de Felipão pelo Palmeiras desde que voltou. Antes, venceu o Corinthians. Já Aguirre ganhou todos os três jogos contra rivais no Morumbi: do Co­rinthians duas vezes, e do Santos, uma.

 

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*