Mauá, Política-ABC, Sua região

Orosco apresenta pedido de exoneração de secretaria de Mauá

Atila Jacomussi tratou a questão entre Orosco e Vanessa como uma crise conjugal e não de governo. Foto: Eberly LaurindoO secretário municipal de Obras e presidente do PMDB de Mauá, José Carlos Orosco Junior, apresentou ontem (27) pedido de exoneração. Orosco é marido da ex-deputada estadual Vanessa Damo – que, no dia 23 de janeiro, registrou boletim de ocorrência na Delegacia da Mulher da cidade relatando ser vítima de violência doméstica, praticada pelo esposo. A Prefeitura de Mauá, que até então não tinha se manifestado sobre o episódio, emitiu nota e relatou, apenas, que o pedido foi aceito pelo prefeito Atila Jacomussi (PSB).

Fontes próximas ao governo relatam que, com a saída de Orosco, ao menos outros dois secretários também devem deixar os cargos: o secretário de Educação, Fernando Daniel Coppola, o Xuxa, ex-chefe de gabinete de Vanessa Damo – indicação do PMDB e do DEM – e a secretária de Assuntos Jurídicos, Camila Brandão Sarem, que também seria indicação indireta de Orosco.

Atila manteve-se distante do episódio desde que o boletim de ocorrência e o depoimento de Vanessa – relatando violência física e psicológica, adultério e tentativa de separar a ex-deputada das duas filhas pequenas – foram divulgados nas redes sociais e por veículos de comunicação da região. A avaliação do núcleo duro do governo é de que se trata de crise conjugal e não no governo. No entanto, a pressão de eleitores nas redes sociais e de líderes políticos que manifestaram apoio a Vanessa também foi sentida.

O acordo que culminou na saída de Orosco da administração foi firmado com a família Damo. A mãe de Vanessa, Alaíde Damo, é a vice-prefeita. Seu pai, o ex-prefeito Leonel Damo, também pressionava Atila por uma atitude. A saída dos três secretários (Obras, Educação e Assuntos Jurídicos) deve abrir espaço no governo para indicações dos Damo.

Em nota, Orosco negou as acusações. “É com muita tristeza que respondo às acusações sem fundamento feitas por minha esposa, Vanessa Damo, com quem fui casado por nove anos. Nunca a agredi. A violência não faz parte da minha índole e a continuo respeitando como mulher, profissional e mãe de minhas filhas. É com elas, acima de tudo, que me preocupo. Estou adotando as devidas medidas judiciais para proteger meus direitos e os direitos delas. Reconheço a crise emocional por que passa Vanessa Damo e farei de tudo para ajudá-la a superar esse momento. Rogo, apenas, que ela, seus familiares e a imprensa respeitem a privacidade e o direito à felicidade de minhas filhas”.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*