Minha Cidade, São Bernardo do Campo, Sua região

Orlando Morando e Geraldo Alckmin assinam convênio para Fábrica de Cultura em São Bernardo

Orlando Morando e Geraldo Alckmin  assinam convênio para Fábrica de Cultura
Alckmin e Morando: “é um equipamento que vai fazer a diferença na vida das crianças e dos jovens”. Foto: Gabriel Inamine/PMSBC

O prefeito de São Bernardo, Orlando Morando (PSDB), e o governador Geraldo Alckmin (PSDB) assinaram na noite de ontem (4) protocolo de intenções que formaliza convênio a fim de que a prefeitura possa usar o prédio que estava sendo construído para o Museu do Trabalho e do Trabalhador para abrigar uma Fábrica de Cultura. O equipamento será o segundo fora da Capital. O primeiro é em Diadema e deve entrar em funcionamento ainda este ano.

Morando afirmou que a assinatura do documento fortalece o argumento da administração junto ao Ministério da Cultura, para que seja formalizado o Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) que vai possibilitar a mudança de objeto da obra, que não será mais o museu. “É uma vitória para a cidade, porque claramente ouvimos da população que ela não queria esse museu lá. Não somos contra museu, mas ele ficou manchado, ficou rotulado e a melhor vocação que identificamos para aquele espaço é uma Fábrica de Cultura. Então, é uma grande vitória para a cidade”, frisou.

Superfaturamento

O Ministério Público investiga, por meio de duas ações, desvio de recursos e superfaturamento na obra, que já consumiu R$ 15 milhões e teve início em 2012. O ex-prefeito de São Bernardo Luiz Marinho (PT) é réu em uma das ações, assim como os ex-secretários de Obras e Planejamento Alfredo Luiz Buso, ex-secretário de Obras José Cloves da Silva, entre outros. As obras foram embargadas ano passado.

A expectativa da administração é que ainda neste semestre seja fechado o TAC e contratada a empresa para concluir a obra, que está na fase de finalização. Tudo correndo bem, o prédio estará concluído ainda neste ano. “Prefiro não cravar prazos, porque não depende da prefeitura. Depende de superar questões jurídicas, que são fundamentais”, explicou. “Até porque não vamos em nenhum momento prejudicar com as nossas ações uma investigação que corre paralela à prefeitura. Tenho que cuidar exclusivamente da questão funcional”, destacou.

O governador destacou que as Fábricas de Cultura são muito bem avaliadas onde já funcionam, em bairros carentes da Capital. “Crianças, jovens, terceira idade, com diversos cursos, tudo gratuito. Acho que a sociedade ganha com um equipamento público extremamente importante e que vai fazer a diferença na vida das crianças, dos jovens”, afirmou. “Aliás, a Fábrica de Cultura nasceu em uma conversa nossa com o presidente do BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento) e a lógica é reduzir a violência. Então, foram escolhidas em locais de maior vulnerabilidade juvenil, em locais com índice de violência muito altos”, completou.

Homenagem

O Museu do Trabalho seria uma homenagem à atividade sindical em São Bernardo, mas também ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Ontem, enquanto Alckmin e Morando assinavam o protocolo de intenções, o Supremo Tribunal Federal (STF) julgava pedido de habeas corpus apresentado pela defesa do petista, após condenação em segunda instância por corrupção.

“É uma coincidência (as datas), porque já tínhamos marcado independentemente disso e até anunciado na outra ida (a São Bernardo), em 27 de março”, declarou o governador. “Em relação à questão jurídica, esse é um assunto do Poder Judiciário. Devemos sempre respeitar a decisão judicial. Acho que o que a sociedade espera é que haja justiça. Acho que é isso que se deseja, que não haja impunidade, ninguém está acima da lei, essa é a lógica da República, a lei é para todos”, completou.

O pedido de habeas corpus foi negado por 6 votos a 5.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*