Minha Cidade, Regional, Sua região

Ocupação em leitos de UTI no ABC cai ao menor nível desde 8 de fevereiro

Ocupação em leitos de UTI no ABC cai ao menor nível desde 8 de fevereiro
Segundo a plataforma Info Tracker, re­gião tinha 793 pacientes em terapia intensiva no domingo, equivalente à ocu­pa­­ção de 64,4%

A taxa de ocupação dos lei­tos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para pacientes de covid-19 no ABC atingiu, no úl­timo domingo (27), o patamar mais baixo em mais de quatro meses. É o que revela a plataforma Info Tra­cker, mantida por pesqui­sa­dores do campus São Carlos da Universidade de São Paulo (USP) e da Universida­de Esta­dual Paulista (Unesp).

Segundo a plataforma, a rede pública de saúde da re­gião tinha 793 pacientes em es­ta­­do grave, equivalente à ocu­pa­­ção de 64,4% dos leitos de UTI Covid-19. O indicador é o me­­nor desde 8 de fe­ve­rei­­ro, quan­­do estava em 62,7%.

A taxa de ocupação das en­fermarias no ABC, por sua vez, era de 43,6% no último domingo, com 734 pacientes internados. Uma semana antes, o indicador estava em 47,4%.

Em Ribeirão Pires, por exem­plo, o Hospital de Campanha local ti­nha na última sexta-fei­ra apenas 13 pacientes, com ocupação de 60% nos leitos de UTI e de 23% nos de en­fer­maria. Em março, pico da segunda onda da pandemia, o complexo chegou a ter 100% de ocupação por 30 dias, e 40 pessoas morreram à espera de vaga na terapia intensiva.

“A vacinação de grande parte da população está diminuindo a circulação do vírus. Isso está contribuindo para reduzir a taxa de infecção”, observou Antônio Carlos André de Castro, coordenador do hospital.

Para o coordenador, a recuperação dos pacientes tem sido mais rápida. “A idade média dos acometidos pela doença tem diminuído gradualmente conforme avança a vacinação nas faixas etárias. O perfil dos pacientes internados atualmente é mais jovem. Com isso, a recuperação tende a ser mais rápida, diferentemente do que ocorria em março, quando tínhamos a maioria de idosos com comorbidades e, con­sequen­te­mente, com períodos de recuperação mais prolongados.”

A melhora na taxa de ocupação das UTIs reflete também a redução no número de internações. Segundo o Info Tra­cker, o ABC encerrou a 25ª semana epi­demiológica, no último sábado (26), com média móvel de 159 novas internações diárias, com que­da de 25,7% ante o apurado duas semanas antes (216).

MAIS INDICADORES

Outros indicadores também melhoraram, como o de mortes por covid-19. A 25ª semana epi­demiológica terminou com 179 óbitos, total 11,8% inferior ao apurado nos sete dias anterio­res (203), segundo o painel da Funda­ção Sis­tema Estadual de Aná­lise de Dados (Sea­de). A semana terminou com mé­­dia mó­­vel de 25,6 mortes diá­rias nos sete municípios.

Na mesma comparação, segundo a Fundação Seade, o número de casos caiu 7,8%, pa­ra 4.505 ocorrências, com média móvel de 644 diagnósticos por dia.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*