Economia, Notícias

Número de franquias cresce 12,7% este ano no ABC

Número de unidades franqueadas cresce 12,7% este ano na região
Levantamento da ABF apontou a existência de 2,3 mil negócios desse tipo no ABC no primeiro semestre

No momento em que a crise tornou mais difícil a sobrevivência de micro e pequenas empresas, cresce no ABC a presença de marcas de franquias e também o número de unidades franqueadas.

Levantamento realizado pe­­la Associação Brasileira de Fran­chising (ABF) revela que os sete municípios possuíam 2.336 unidades franqueadas no primeiro semestre, número 12,7% superior ao apurado no mesmo período do ano passado (2.072).

O estudo mostra ainda que a região colocou dois muni­cípios no ranking das 30 cidades com o maior número de unidades franquedas. São Bernardo ocupa a 16ª posição, com 794, e Santo André é a 18ª, com 777. São Paulo lidera o ranking, com 12.914.

Ainda segundo a ABF, Santo André é o município com o segundo maior crescimento no número de unidades (17,4%) na comparação entre os semestres, atrás apenas de Cuiabá (20%).

A entidade avalia que há movimento mais intenso de expansão das redes de franquias para o Interior, a chamada interiorização. Dentro do Estado de São Paulo, a ABF observa também um crescimento considerável do número de marcas nas regiões metropolitanas. Em Santo André e São Bernardo, por exemplo, houve aumento na casa de 12%.

“O estudo comprova o aumento da capilaridade das redes de franquias em todas as regiões do país. Além da vocação natural das marcas por expandir, há conjunção de fatores que estimulam a ampliação dessa capilaridade, entre os quais a busca de novos mercados internos como estratégia para manter a rentabilidade; a melhor exploração de nosso país, que tem dimensões continentais; e a demanda por produtos e serviços de marcas conhecidas”, disse André Friedheim, presidente da ABF.

Para Marcelo Maia, diretor executivo da ABF, “os dados reafirmam a força do franchi­sing e mostram que há enorme mercado a ser explorado pelas redes de franquias Brasil afo­ra, com novos modelos de negócio, inclusive adaptados regionalmente, para qualquer perfil de investidor”.

Ainda segundo a entidade, o faturamento do setor de franquias teve crescimento de 6,4% no primeiro semestre, para R$ 84,59 bi­lhões, e o total de empregos gerados avançou 10%, para 1,22 milhão de pessoas.

CONTRAMÃO

O aumento recente no nú­­mero de unidades franqueadas vai na contramão do movimento de fechamento de empresas no ABC verificado entre 2013 e 2017, devido à crise. No período, 6,8 mil estabelecimentos baixaram suas portas definitivamente na região, com queda de 7,8% no universo de negócios, segundo dados divulgados em meados deste ano pelo Cadastro Central de Empresas (Cempre).

Ocorre que as franquias têm menor taxa de morta­lidade do que os negócios pró­prios. Como a marca já foi testada e aprovada no mercado, o futuro empresário corre menos riscos quando abre um negócio desse tipo.

O levantamento da ABF indica que os segmentos como maior número de unidades franqueadas no ABC são alimentação, entretenimento, ca­­sa & construção, comunicação, informática e eletrônicos.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*