Editorias, Notícias, Veículos

Nova Strada: versatilidade e surpresa na caçamba

Nova Strada: versatilidade e surpresa na caçamba
Frente elevada e capô vincado ressaltam a robustez da nova Strada. Foto: Luiza Kreitlon/AutoMotrix

LUIZ HUMBERTO MONTEIRO PEREIRA
AutoMotrix

A nova geração da Fiat Strada chegou às concessionárias em julho, totalmente renovada em termos de design e tecnologia. Sua missão era óbvia: preservar a cobiçada posição de picape mais vendida do país, mantida há quase duas décadas e que se expressa em mais de 1,5 milhão de exemplares comercializados no Brasil até hoje. Porém, a Strada foi além. Depois de assumir em agosto a vice-liderança geral de vendas, tomou em setembro o posto de carro mais vendido do Brasil, o que uma picape jamais havia conseguido. Com os 11.873 emplacamentos registrados no mês pas­sado, superou por menos de 200 carros as vendas do Che­vrolet Onix, que ocupa a liderança nos últimos cinco anos e segue na frente no acumulado de 2020.

A explicação para a ascensão da Strada ao pódio de vendas normalmente restrito aos hat­ches tem um motivo mercado­lógico simples. Juntamente com a nova gera­ção, a Strada traz a iné­dita configuração cabine dupla com quatro portas homologada para cinco pessoas. Disponível em três opções de acabamento – Endurance, Freedom e Volcano, mesmos nomes usados na “irmã” Toro –, essa configuração permitiu à Strada não só ampliar a lide­rança entre as picapes como também brigar por consumidores que normalmente optariam por um hatch. Um público que sem­pre se sentiu atraído pelo “char­me aventureiro” e pelas possibi­li­da­des de transporte oferecidas pela caçamba, mas não queria (ou não podia) abrir mão de levar cinco pessoas a bordo.

Agora, não é preciso abdicar dos cinco lugares para ter uma caçamba – que, na versão de cabine dupla, leva 844 litros/650 quilos – são 1.354 litros/720 quilos nas versões de cabine simples, que a Fiat batizou de Plus.

Além das possibilidades aber­tas pela nova configuração de ca­bine dupla, parte do sucesso da Strada 2021 passa pelo design. A frente elevada e o capô vincado ressaltam a robustez. O centro da grade abriga o logo do fabricante e, nas laterais, os faróis de LED afilados com luzes de rodagem diurna (DRL) reforçam o aspecto imponente. O estilo italiano é explicitado pela Fiat flag – bandei­ri­nha estilizada por quatro fai­xas verticais, posicionada no canto da grade. A linha de cintura ascendente destaca as caixas de roda quadradas, e as lanternas assimétricas avançam pelas laterais.

O ímpeto inovador da Strada não chegou ao conjunto motor-câmbio. São oferecidas duas opções de propulsor já usadas em outros modelos da linha Fiat, sempre acopladas à transmissão manual de cinco marchas – não há opção automática ou automatizada. As versões Endurance são equipadas com o 1.4 Fire, que gera potência de 88 cv a 5.750 rpm (etanol) e 85 cv a 5.750 rpm (gasolina). Seu torque é de 12,4 kgfm com gasolina e 12,5 kgfm com etanol, ambos a 3.500 rpm.

A partir da versão Freedom até a top de linha Volcano, a nova Strada dispõe do motor 1.3 Firefly de quatro cilindros, com 109 cv a 6.250 rpm e 14,2 kgfm de torque (etanol). Com gasolina, são 101 cv a 6 mil rpm e torque de 13,7 kgfm a 3.500 rpm.

A nova Strada investe em equi­pamentos de série. A partir da versão Freedom, traz direção com assistência elétrica, sensor de pressão dos pneus, volante mul­tifuncional, retrovisores elétricos, painel de instrumentos de 3,5 polegadas de TFT (um tipo de display de cristal líquido), capota marítima e rodas de liga leve.

Um destaque da linha é a nova central multimídia Uconnect, com tela sensível ao toque de sete polegadas e conectividade sem fio com Apple CarPlay e Android Auto. A Volcano incorpora vidros traseiros elétricos, bancos em couro e tecido, câmera de ré, volante em couro, faróis em LED, sensor de estacionamento, capota marítima, barras longitu­dinais no teto, santantônio e pneus 205/60 R15. Como único opcional da versão, é possível ter rodas de liga leve de 16 polegadas (pneus 205/55 R16), por R$ 2.500.

A picape compacta é vendida a partir de R$ 64.990 na versão Endurance 1.4 cabine simples e chega aos R$ 82.290 na top de linha Volcano 1.3 cabine dupla, totalizando cinco configurações.

A diversidade de opções aju­dou a concretizar a inédita li­de­rança geral da Strada e ainda embalou a marca Fiat – que, em setembro, teve mais de 39 mil licenciamentos e deixou para trás a Volkswagen, com quase 34 mil, e a General Motors, com 31,8 mil.

 

Banco traseiro acomoda três adultos com conforto similar ao oferecido pelo Argo

Os tempos das picapes compactas de cabine dupla com bancos traseiros acochambrados e de aspecto tosco ficaram no passado na linha Strada. A versão com cabine dupla da geração anterior, com porta traseira apenas do lado direito, levava só dois passagei­ros atrás, em espaço exíguo e recomendável apenas para viagens rápidas.

Na nova versão cabine dupla, o banco traseiro acomoda três adultos com conforto similar ao proporcionado pelo hatch Argo. As portas dianteiras se abrem em 70º e as traseiras, em 80º, para facilitar o acesso. O passageiro do banco central também possui cinto de três pontos e encosto de cabeça. No interior, apesar de a versão Volcano ser top de linha, os mesmos plásticos duros das configurações básicas estão presentes no painel e nas portas.

Os porta-objetos incluem compartimentos específicos para celulares, garrafas, latas e outros itens. Os cintos de segurança frontais contam com pré-tensionadores e os bancos protegem os ocupantes do efeito chicote (whiplash). A proteção para crianças tem Isofix complementado por Top Tether (ancoragem superior que impede a rotação de cadeira).

A nova central multimídia Ucon­nect com tela de sete polegadas agrega funções como navegação via Waze e Google Maps, música via streaming ou MP3, reconhecimento de voz (Siri ou Google Voice) e leitura e resposta de mensagem handsfree para SMS e WhatsApp.

AO DIRIGIR

No uso urbano, a Strada se revela um compacto bastante dócil, sem oferecer dificuldades significativas em relação à dirigibilidade de um hatch ou sedã de porte similar. Com sua direção eletricamente assistida, é fácil de manobrar, inclusive para entrar e sair de vagas apertadas. Nas estradas, em velocidades mais ele­vadas, a picape surpreende pelo equilíbrio dinâmico, sem aquela traseira um tanto “solta” comum às picapes de tração dianteira com caçamba vazia – quando carregada, naturalmente, a carga ajuda a “assentar” o veículo, sobretudo nas curvas rápidas. Vazia ou carregada, a Strada apresenta comportamento neutro, digno de carro de passeio.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*