Economia, Notícias

No melhor resultado desde 2004, ABC criou 9.892 vagas em novembro

No melhor resultado desde 2004, ABC criou 9.892 vagas em novembro
Mesmo assim, região ainda não conseguiu recupe­rar integralmente as perdas ocorridas na pandemia

O mercado de trabalho com carteira assinada do ABC registrou em novembro a abertura de 9.892 vagas, como resulta­do de 28.896 admissões e 19.004 desligamentos, segundo da­dos divulgados nesta quarta-feira (23) pe­lo Mi­nistério da Economia.

Trata-se do quarto saldo po­sitivo consecutivo e o me­lho­r resultado da série histórica do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) – que, pa­ra os sete municípios, come­çou em janeiro de 2004.

Mesmo assim, o mercado de trabalho formal da região ainda não conseguiu recupe­rar integralmente as perdas regis­tradas entre março e ju­lho des­te ano, período mais agudo da pandemia do novo corona­vírus, quando 37.604 empregos com carteira assinada foram eliminados.

No acumulado de agos­to a novembro foram criados 23.661 postos de trabalho no ABC, ou 62,9% do total destruído nos cinco meses anteriores. As­sim, para “zerar” as per­das ocorridas durante a pandemia, ain­da faltam 13.943 vagas.

De janeiro a novembro, o saldo é negativo em 10.565 postos de trabalho extintos, pior resultado para o período desde 2016 (-25.150). Com o resultado positi­vo do mês passado, agora está em 699.014 empregos o esto­que existente no ABC, com queda de 1,5% ante o apurado em 1º de janeiro deste ano (709.579).

As demissões no acumulado do ano refletem o impac­to da crise sanitária na atividade econômica regional.

SETORES

No corte por atividades eco­­nômicas, o saldo de novembro re­fletiu o desempe­nho fa­vo­rável nos quatro principais se­tores, com des­taque para os serviços, que ge­raram 5.207 postos de trabalho. O resultado foi puxado pelo segmento de locação de mão de obra tempo­rária, com 1.472 vagas criadas.

A indústria gerou 847 ocu­pações em novembro. O saldo re­fletiu o desempenho fa­vo­rável nos segmentos de produtos de borracha e plástico (172 vagas criadas), produtos de me­tal (131) e veículos automotores e autopeças (139).

O comércio gerou 2.857 postos de trabalho, dos quais 2.313 no varejo, 381 no ata­cado e 163 no comércio e re­paração de veículos. Por fim, a construção civil criou 978 vagas.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*