Brasil, Editorias, Notícias

No Ceará, Lula diz que ‘estão com medo’ de que volte à presidência

Lula cumpre agenda no Nordeste, onde acompanhará candidatos do PT às eleições municipais. Foto: Ricardo Stuckert/ Instituto Lula

Em discursos realizados ontem (21), no interior do Ceará, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva citou o processo em que é réu desde terça (20) e disse que um “grupo de meninos” futuca sua vida sem encontrar provas. Dizendo-se ofendido e magoado, Lula afirmou que estão com medo de que volte à presidência da República.

O ex-presidente disse ser alvo de perseguição desde 2011, quando a preferência eleitoral do PT chegou a 34%. “Aí começou a tentativa de me destruir”, afirmou o ex-presidente ao discursar na cidade de Barbalha (a 503 km de Fortaleza).

Descrevendo o que, na sua opinião seria o discurso dos adversários, Lula afirmou: “Além de afastar a Dilma, precisamos cuidar desse Lula. Se a gente ficar brincando, esse Lula se mete a se candidatar de novo”. O ex-presidente cumpre agenda de comícios pelo Nordeste nesta semana, onde participará de passeatas e acompanhará candidatos do PT às eleições municipais.

Na cidade do Crato (a 500 km de Fortaleza), o ex-presidente disse que há exatamente dois anos “uns jovens do Ministério Público, da Polícia Federal e da Fazenda” o investigam. “Agora, o cara diz: ‘não tenho provas, tenho convicções’. Se fosse dizer as convicções que tenho de algumas pessoas deste país, não caberia nessa praça.”

Intimação

Ontem, o juiz Sergio Moro expediu intimação a Lula e a outros sete réus sobre a decisão de abrir a ação penal. Nos discursos, transmitidos pelo Instituto Lula, o petista repetiu que, se encontrarem um centavo roubado por ele, pedirá desculpas publicamente. “O dia que acharem um real na minha vida que não seja meu, não valho mais ter a confiança de vocês”, discursou.

Diante de apoiadores, o petista disse ainda que “nós só devemos respeitar um presidente da República se for eleito pelo voto”. Em todos os palanques por que passou, o ex-presidente desqualificou o governo Michel Temer (PMDB).

Em Iguatu (a 365 km de Fortaleza), chegou a chorar ao falar de miséria: “Se quiserem impedir o Lula de voltar, têm de impedir o povo de votar”. “Não precisam ter medo deste velhinho de 71 anos. Precisam ter medo de vocês (eleitores).” Ao som de palavras de ordem como “Fora, Temer” e “Brasil urgente, Lula presidente”, o petista atacou a imprensa.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*