Editorias, Notícias, Política

‘Não vou rir nem chorar’, afirma Lula sobre delações premiadas

Lula: Para ser preso, tem que ter cometido crime e esse crime tem que ser provado. Foto: Roberto Parizotti / CUTEm entrevista à Rádio Metrópole, de Salvador, nesta quinta (13), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que não vai “rir nem chorar” diante das acusações “irreais” de delatores da Odebrecht contra ele na Lava Jato. “A delação tem de ser provada. Não basta o cidadão falar uma coisa, por mais a sério ou por mais bobagem que seja, tem de provar”, disse.

Ao ser questionado sobre o depoimento que prestará ao juiz Sergio Moro, em 3 de maio, disse que será uma oportunidade para responder as acusações. “Tenho consciência de que não vou ser preso. Para ser preso, tem que ter cometido crime e esse crime tem que ser provado.”

Lula disse que não fica feliz com a implicação dos principais partidos do país, incluindo a oposição ao PT, nas acusações. “Quando aparecem outros partidos que criminalizaram o PT, primeiro você tem um alívio. A máscara está caindo. Mas queria que não tivesse o PT nem ninguém. Queria que se pudesse fazer política com contribuição pública, fiscalização rígida da Justiça Eleitoral. As contas dos partidos foram aprovadas nos Estados e no Tribunal Superior”, destacou.

Questionado sobre eventual candidatura à presidência em 2018, disse estar estimulado: “Estou na disputa. Vou disputar se me deixarem disputar e vou provar que este país pode voltar a ser feliz”, afirmou.

‘Faltou com a verdade’

A ex-presidente Dilma Rousseff afirmou nesta quinta que o Marcelo Odebrecht “faltou com a verdade” e negou ter pedido recursos para campanha a ele. “É mentira que Dilma Rousseff tivesse conhecimento de quaisquer situações ilegais que pudessem envolver a Odebrecht e seus dirigentes, além dos integrantes do próprio governo ou mesmo daqueles que atuaram na campanha da reeleição. Ele não consegue demonstrar tais insinuações em seu depoimento, e por um simples motivo: isso nunca ocorreu. Ou seja: o senhor Marcelo Odebrecht faltou com a verdade”, diz a nota encaminhada pela assessoria da petista.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*