Mauá, Política-ABC, Sua região

Na reta final, aliados trocam Donisete Braga por Atila Jacomussi

O segundo turno da disputa pela Prefeitura de Mauá foi marcada pela troca de lado entre partidos que, na primeira etapa, apoiaram o prefeito Donisete Braga (PT), mas migraram para o grupo de seu opositor, o deputado estadual licenciado Atila Jacomussi (PSB), vislumbrando possível derrota petista nas urnas. O socialista obteve 46,73% dos votos válidos, contra 22,90% do prefeito. Brancos e nulos somaram 65.679 votos.

Pesquisa feita pelo Instituto Veritá, registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob número 04212/2016, mostra Atila com 51,6% das intenções de voto e Donisete com 21,6%.

Donisete começou a disputa com nove partidos na composição, mas perdeu o apoio de três (PRB, PDT e PROS). Todos declararam adesão à candidatura de Atila, mesmo tendo ocupado secretarias na atual gestão.

O primeiro a mudar de lado foi o PDT, em 6 de outubro. A legenda ocupava duas secretárias e tinha vários funcionários comissionados na administração. O PDT elegeu dois vereadores na coligação com o PP: Cincinato Freire e Fernando Rubinelli. Presidente municipal do PDT, Cincinato não foi localizado para comentar.

No dia 7 de outubro foi a vez de o presidente municipal do PROS e vereador reeleito Severino do MSTU abandonar o projeto petista. O PROS indicou, em janeiro deste ano, o secretário estadual do Movimento dos Sem-Terra Urbanos (MSTU), Leonildo Pereira dos Santos, para assumir a superintendência da Habitação Popular e Urbanização de Mauá (Hurbam). Severino atribuiu a saída do governo ao que chamou de falta de compromisso. “Estão me chamando de traidor, mas falei para meu grupo que, quando disserem isso, é para responder que não honraram com a palavra deles”, afirmou durante ato de formalização do apoio.

Mais apoios

Mais recente baixa nas fileiras de aliados petistas, o PRB anunciou apoio ao socialista na última segunda-feira (24). O partido ocupava a Secretaria de Esportes. “Foi uma decisão da estadual, que acatamos e achamos adequada. O resultado do primeiro turno foi chamativo e a direção municipal não teve argumento para continuar ao lado do PT”, justificou o presidente municipal do PRB e ex-secretário de Esportes, Erisson Miranda Pessoa.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*