Minha Cidade, Regional, Sua região

Municípios do ABC integram ranking das dez cidades com mais roubos de celular

Municípios do ABC integram ranking das dez cidades com mais roubos de celular
Com a aproximação das festas de fim de ano, número de ocorrências deve aumentar. Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil

Estudo realizado pelo De­partamento de Pesquisas em Economia do Crime da Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado (Fecap) apontou as dez cidades com o maior número de roubos e furtos de celulares no Estado de São Paulo. A capital paulista está no topo do ranking, com 7.836 roubos (ocorre com ameaça e violência) e 6.048 furtos (subtração, sem violência) registrados em setembro.

Do ABC, Santo André (com 341 ocorrências), São Bernardo (com 328) e Diadema (281) integram o ranking das dez cidades com maior número de roubos de celular em setembro, respectivamente, na 4ª, 6ª e 7ª posições. Quanto aos furtos de celular, aparecem no ranking Santo André, com 137 ocorrências e São Bernardo, com 98 – 4ª e 5ª colocações.

A pesquisa tem como base os boletins de ocorrência divulgados pela Secretaria Estadual de Segurança Pública. Segundo os pesquisadores, os números apresentados podem ser maiores devido a subnotificações e boletins incompletos ou com erros que são descartados durante o tratamento dos dados.

Segundo o levantamento, em setembro deste anoforam registradas 23.706 ocorrências envolvendo celulares, sendo 13.097 roubos e 10.609 furtos nem todo o Estado. Em comparação a agosto deste ano houve queda de 3,80% nos roubos e aumento de 13,62% nos furtos.

Em contrapartida, no comparativo aos dados de setembro último com o mesmo mês de 2020, o número de ocorrências aumentou: 5,51% em relação a roubos e 52,08% a furtos. O resultado indica os efeitos do aumento da circulação de pessoas, com a redução de algumas restrições impostas no Estado de São Paulo por conta da pandemia de covid-19.

FIM DE ANO

Com a aproximação das festas de fim de ano, a retomada deve ganhar força nos próximos meses, o que deve impactar ainda mais nos crimes de oportunidade, normalmente cometidos contra o patrimônio. Em relação aos crimes que envolvem celulares, além do valor dos aparelhos, os criminosos buscam ter acesso a informações das vítimas para aplicar golpes.

“Os crimes contra o patrimônio são tipicamente sazonais e os últimos meses do ano são caracterizados por crescimento no número de furtos e roubos. Para este ano, o cuidado deve ser ainda maior, pois temos um elemento novo que é o crescimento dos crimes de extorsão quando do roubo de celulares, provavelmente devido à difusão do PIX. Esse crime é grave devido à violência física e psíquica, que pode deixar sequelas irreparáveis”, desacou o professor Erivaldo Costa Vieira, coordenador do Departamento de Pesquisas em Economia do Crime da Fecap.

Ao analisar as dez cidades com maiores taxas de roubo, totalizam 10.337 ocorrências, que correspondem a 78,92% do total em todo Estado. Comparando os dados registrados em agosto e setembro deste ano, segundo os pesquisadores, chama a atenção o aumento de 10,42% das ocorrências em Guarulhos e as reduções de 17,23%, 16,32% e 6,55% em Santo André, Itaquaquecetuba e São Bernardo, respectivamente.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*