Economia, Notícias

Movida investe R$ 40 milhões no ABC em loja dedicada a motoristas de aplicativo

Movida abre loja no ABC dedicada a motoristas de aplicativo
Maria Baldin: “motorista cobre valor com duas ou três corridas”. Foto: Divulgação

A Movida, locadora de veí­culos com cinco unidades no ABC, inaugurou em São Caetano a primeira megaloja da rede dedicada a motoristas de aplicativo. Localizada na avenida Conde Francisco Matarazzo, 495, no bairro Fundação, possui 9,4 mil metros quadrados e capacidade para atender 1.500 profissionais por mês.

A unidade demandou investimento de R$ 40 milhões, montante que considera a estrutura inicial e a frota potencial da loja, que pode chegar a 1.200 carros. Outras quatro operações semelhantes devem ser inauguradas até fevereiro de 2020 em São Paulo, no Rio de Janeiro e em Belo Horizonte.

Em entrevista ao Diário Re­gional, a diretora de Novos Negócios da Movida, Maria Yamamoto Baldin, revelou que a locação de carros para moto­ristas de aplicativo repre­senta entre 7% e 10% do faturamento da empresa, mas há potencial para dobrar essa participação. “Há demanda reprimida, principalmente entre as pessoas que perdem o emprego, não têm o carro adequado e optam pelo aluguel do veículo para recomeçar a trabalhar”, disse.

A Movida teve acesso a pesquisas de plataformas como Uber, 99 e Cabify as quais mostram que 50% dos moto­ristas de aplicativo têm carro próprio, enquanto a outra me­tade aluga ou empresta informalmente o veículo. Estima-se que a categoria reúna 250 mil pessoas na Capital e outras 35 mil na Grande São Paulo.

Um dos diferenciais da loja recém-inaugurada é a adequação da frota às necessidades do motorista de aplicativo. “Entre clientes pessoa física, os carros mais alugados são os subcompactos como Fiat Mobi e Renault Kwid. Porém, os profissionais preferem carros maiores e mais confortáveis. Até rodam com hatches, mas precisa ser (do porte de) Renault Sande­ro”, explicou Maria Baldin.

Na baixa temporada, o aluguel de um Chevrolet Onix custa a partir de R$ 1.499 por mês para motoristas de aplicativo, o que inclui franquia de 5 mil quilômetros e proteção contra roubo/furto e colisão. Segundo a Movida, o valor é 20% inferior ao cobrado em uma locação normal. Na alta temporada, o valor sobe.

“São R$ 70 por dia, valor que o motorista cobre com duas ou três corridas sem ter de se preocupar com manutenção, impostos ou depreciação do veículo”, argumentou a diretora de Novos Negócios, des­tacando que, para ter direito ao preço diferenciado, o motorista precisa comprovar que está ativo na plataforma.

SERVIÇOS

Além da locação de veículos, a unidade terá capacidade de realizar mensalmente mais de 600 serviços de revisão e manutenção de freios e 150 de funilaria e pintura. Também possui área de acolhimento, que permite ao motorista tomar banho ou fazer uma refeição.

“A megaloja tem funcioná­rios especializados que conhecem a rotina do motorista e são capazes, por exemplo, de realizar consertos rápidos no carro sem a necessidade de trocá-lo. Para o cliente normal, a subs­tituição do veículo é um procedimento rotineiro, mas causa transtornos para o motorista de aplicativo”, afirmou Maria Baldin. A Movida foi pioneira, em 2017, na criação de parcerias com serviços de aplicativo.

Além da megaloja recém-inaugurada, a Movida possui duas unidades em São Bernardo, uma em São Caetano e outra em Santo André, de um total de 188 no país.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*