Política-ABC, São Bernardo do Campo, Sua região

Morando afirma que vai buscar o MP para reabertura do comércio

O prefeito de São Bernardo, Orlando Morando (PSDB), em live na noite desta quarta-feira (27), afirmou que vai buscar o Ministério Público para que haja flexibilização da quarentena no município, tendo como base o número de leitos exclusivos para atendimento dos casos de coronavírus na cidade e o porcentual de ocupação. O ABC, segundo dados apresentados pelo governador João Doria (PSDB), continuará de quarentena ao menos até 15 de junho.

Morando questiona a inclusão da Capital na fase 2 do Plano São Paulo, que permite a flexibilização do comércio. Segundo o prefeito, a Capital foi excluída da região metropolitana, com isso, os leitos disponíveis para atendimento de casos de coronavírus não foram incluídos na contagem geral. Já os leitos disponíveis pelos sete municípios  integram a base geral, o que reduz o número para atendimento de pacientes do ABC, já que as vagas são divididas entre os 38 municípios que integram a região metropolitana.

Segundo o plano apresentado por Doria, a retomada será dada nas cidades que tiverem redução consistente no número de casos, nas que tiverem disponibilidade de leitos nos hospitais públicos e privados, e nas que obedecerem ao distanciamento social.

“Como base nos critérios apresentados pelo governo para retomada da economia, ou liberaram São Paulo errado ou temos de ser liberados também. A decisão foi incoerente se estamos ouvindo a ciência. Até a semana passada se estudava lockdown na Capital e agora vai ter flexibilização? Não vou permitir que o município seja penalizado”, pontuou.

LEITOS DISPONÍVEIS

Morando afirmou que nos últimos sete dias a taxa ocupação de leitos em São Bernardo oscilou entre 61% e 73% e na capital, de 85% a 92% no mesmo período. “Em relação ao número de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva), São Bernardo tem 18 para cada 100 mil habitantes e a Capital, 10. Ou seja, temos 80% mais leitos que a Capital. São Bernardo registra 174 infectados por 100 mil habitantes, a Capital tem 462 casos. Quero saber onde ficamos atrás da Capital? Em nada. Por isso falei que nessa questão o governo de São Paulo errou”, pontuou.

Segundo Morando, tem dois caminhos: ou o governo do Estado admite que errou e retira a Capital da fase 2, ou inclui São Bernardo. “Desafio que venha um infectologista a público e defenda o que foi feito. Eu provo com números. Vamos procurar o Ministério Público. Se o go­verno quiser vou negociar com ele, mas não vou ver as coisas calado. Vou procurar o Ministério Público e esclarecer que em capacidade de internação e de ocupação estamos muito melhores. Aliado não é alienado”, afirmou.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*