Diadema, Minha Cidade, Sua região

Moradores reclamam de falta de médico em UBS e pediatra em PA de Diadema

Moradores reclamam de falta de médico em UBS e pediatra em PA de Diadema
Michels: “está na hora de sair de trás do armário e mostrar para que serve o Estado de São Paulo, o mais rico desta nação”. Foto: Arquivo

Os moradores de Diadema que utilizam a Unidade Básica de Saúde Paineiras criticam a setorização do atendimento e a falta de médico. Também há reclamações que não há pediatra no Pronto Atendimento.

Segundo o paciente Cosmo Maciel da Silva, o atendimento na linha amarela está suspenso há mais de três meses. “Tem dois anos que eu operei da vesícula e de lá para cá tenho constantes dores de estômago, fora cólica intestinal. Faz quatro meses que venho tomando Omeprazol e não está resolvendo nada. Queria um exame mais profundo do meu estômago e do meu intestino, mas faz três meses que a linha amarela não tem médico. Estamos passando por situação crítica referente a médico e medicamento. Só quero uma solução.”

“Estamos indignados com a situação. Não tem clínico da linha amarela, não tem pediatra. Nossos filhos e netos ficam doentes e somos obrigados a sair do Campanário sem dinheiro para passagem de ida e volta para levar ao Piraporinha ou ao Quarteirão (da Saúde). Se o posto é 24 h teria de ter pediatria, clínico geral pelo menos”, afirmou a munícipe que se identificou como Rose.

O prefeito Lauro Michels (PV), em entrevista ao Diário Regional, afirmou que a contratação de médico já está em andamento. “O município faz o que pode e não o que quer fazer. Hoje os governos federal e do Estado deixam a desejar na ajuda na saúde de atenção primária, que seria pronto-socorro, pronto atendimento, os quais o município não tem o dever de fazer, mas faz. O PS da Paineiras tem falta desse profissional, no caso pediatra. Estávamos com quadro completo e, infelizmente, viemos a perder um médico e estamos fazendo o que é possível de ser feito”, pontuou.

Michels destacou que está cobrando o novo hospital municipal do governo federal e ajuda do governo do Estado. “Não adianta ter um hospital de porta fechada. Não adianta deixar de ajudar no furto de um equipamento por ineficiência da segurança pública do Estado. Então, está na hora de sair de trás do armário e mostrar para que serve o Estado de São Paulo, o mais rico dessa nação”, disse.

Print Friendly, PDF & Email

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*