Diadema, Minha Cidade, Sua região

Moradores de Diadema aprendem a fazer hortas

No curso, com aulas teóricas e práticas, os moradores aprendem a como fazer uma horta com técnicas de agroecologia. Foto: Thiago Benedetti/PMDInstruídos por técnicos do Programa Agricultura Urbana da Secretaria de Segurança Alimentar de Diadema, moradores do bairro Conceição começaram nesta terça (10), nas dependências do Centro Comunitário Jardim Santa Cândida, a aprender como fazer uma horta orgânica. O objetivo do curso é que esses munícipes melhorem a qualidade da alimentação, invistam na saúde, além terem mais uma opção de geração de renda.

No curso, com aulas teóricas e práticas, os moradores aprendem a como fazer uma horta com técnicas de agroecologia, em que o cultivo de hortaliças é realizado sem agrotóxicos. Nos encontros serão ensinadas técnicas de plantio e tratos culturais, como fazer uma horta e os locais mais adequados para fazer a plantação. Também serão explicados o ciclo e o processo de desenvolvimento das hortaliças, como e quando regar, quais os tipos de solo, rotação de culturas, entre outros temas.

Já na próxima semana, os alunos vão aprender sobre o manejo da fertilidade do solo e como fazer sem agrotóxicos o controle de pragas e doenças. Para isso, os técnicos da Secretaria de Segurança Alimentar vão explicar sobre adubação orgânica, compostagem, defeitos físicos e químicos do solo e os remédios adequados para manter a saúde das hortaliças.

“Além de visar a capacitação agroecológica, o curso procura atender às diversas iniciativas da população e é importante porque proporciona o resgate do saber popular sobre a agricultura urbana”, destacou o secretário de Segurança Alimentar, Atevaldo Leitão.

Canteiro

Uma vez capacitados, os moradores passam a dividir a responsabilidade pela nova horta, na qual cada um passa a cuidar de um canteiro em particular. Já em dezembro, o técnico voltará para discutir e analisar com os horticultores as dificuldades que os moradores encontraram no manejo das hortas.

Para o aposentado Agostinho Braz, o curso traz diversos benefícios. “É um incentivo para mudar a alimentação e torná-la mais saudável e também uma maneira de me reaproximar das minhas origens, já que fui criado na roça. Sem contar que valoriza o terreno do nosso centro comunitário, antes utilizado para descarte de entulho”, afirmou.

O Programa Agricultura Urbana da Secretaria de Segurança Alimentar estimula e apoia iniciativas de produção agroecológica, em espaços públicos ou particulares, promovendo segurança alimentar e nutricional à população e ocupando espaços ociosos do município. O Programa também intensifica o convívio entre as pessoas da comunidade, possibilitando a geração de renda.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*