Economia, Notícias

Montadoras aceleram linhas de montagem, e produção em outubro é a maior deste ano

Produção em outubro é a maior deste ano
Setor fabricou 288,5 mil veículos no mês passado com aumento no ritmo das fábricas antes das paradas programadas de final de ano

Em um esforço para acele­rar a fabricação de veículos antes das paradas programadas nas linhas de montagem na virada do ano, as montadoras registraram em ou­tubro o melhor pa­tamar de produção deste ano.

Segundo a Associação Na­cio­nal dos Fabricantes de Veí­cu­­los Automotores (Anfavea), que representa as montadoras, foram produzidas 288,5 mil unidades em outubro, volume 16,6% superior ao apurado em setembro e 9,6% acima do mesmo mês do ano passado.

Trata-se do melhor desem­penho deste ano e o melhor para o mês desde as 293,3 mil unidades feitas em outubro de 2014, em uma soma que considera carros, co­merciais le­ves, caminhões e ônibus.

No acumulado do ano, o se­tor produziu 2,55 mi­­­lhões de veículos, aumento de 3,6% ante o fabricado no mesmo período do ano passado (2,46 milhões).

“Os resultados indicam o terceiro ano de recuperação do setor automotivo, mesmo com a retração nas exportações”, comentou, ontem (6), o presiden­te da Anfavea, Luiz Carlos Moraes.

A entidade iniciou 2019 pro­jetando crescimento de 9% na pro­dução de veículos para o fechamento do ano, mas reduziu a expectativa para 2,1% devido à queda nas exportações, motivadas pela crise na Argentina.

De janeiro a outubro, os embarques de veículos novos para o exterior caíram 34,7% ante o mesmo período do ano passado, para 367,5 mil unidades.

Moraes afirmou esperar que o governo brasileiro não atra­palhe a recuperação do país vizinho. As relações entre Jair Bolsonaro e o presidente re­cém-eleito na Argentina, Alberto Fernández, começaram conflituosas e têm preocupado os setores exportadores.

“Democracia é isso. O ca­minho que os argentinos escolheram é o Fernandez, que tem enorme desafio com inflação acima de 50%, juros em quase 60%, pobreza alta e risco país de 5 mil pontos”, disse o presidente da Anfavea.

No sentido contrário ao das exportações, as vendas de veículos no mercado interno cresceram 7,9% em ou­tubro contra setembro, para 253,4 mil unidades, mas recuaram 0,5% em relação ao mesmo mês do ano passado.

Moraes creditou o bom de­sempenho do setor no mês passado à queda da taxa de juros nominal do país e à retomada do crédito, uma vez que fatia considerável das vendas é feita por meio de financiamento.

No acumulado do ano até outubro, o total de licenciamentos cresceu 8,7%, para 2,1 mi­lhões de unidades. Para o final do ano, a Anfavea projeta alta de 9,1%.

EMPREGO

Na passagem de setembro para outubro, o nível de emprego nas montadoras de veículos manteve-se estável em 108,4 mil trabalhadores, mas houve queda de 3,3% contra o apurado no mesmo mês do ano passado (112,1 mil).

O resultado ainda não computa as 650 demissões fei­tas na Ford depois que a unidade de São Bernardo encerrou a produção de caminhões, no final do mês passado.

 

Produção de  caminhões cresce 12,1% no ano e vendas, 37,9%

O segmento de veículos pe­sados voltou a ser destaque na divulgação dos dados da Anfavea, ontem (6). Em outubro, a produção de caminhões cresceu 3,9% an­­te o mesmo mês do ano passado, para 11,3 mil unidades, enquanto as vendas avançaram 19,3% na mesma comparação, para 9,4 mil.

No acumulado até outubro, a produção cresceu 12,1% ante o mesmo período de 2018, para 98,7 mil caminhões, e as vendas avançaram 37,9% na mesma comparação, para 83,7 mil.

“Esses resultados refletem a melhora do ambiente de negócios, com as reformas e a economia dando sinais de recuperação. Ain­da não é o ritmo que a gente gostaria, mas o se­tor mostra crescimento robusto, o que cria boas expectativas para o futuro”, disse Marcos Salti­ni, vice-presidente para Veí­culos Pesados da Anfavea.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*