Política-ABC, Regional, Sua região

Ministério das Cidades libera R$ 3,2 mi para obras do Plano Diretor de Mobilidade no ABC

Ministério das Cidades libera R$ 3,2 mi para obras do Plano Diretor de Mobilidade no ABC
Plano Diretor elaborado pelo Consórcio propõe ações regionais. Foto: Arquivo

O ABC recebeu este mês R$ 3,294 milhões do Ministério das Cidades para obras de mobilidade. O Consórcio Intermunicipal ABC informou o recebimento dos recursos, no dia 9, por meio de veiculação no Diário Oficial da União. A verba é referente a 21ª medição dos projetos dos corredores exclusivos de ônibus, e as quatro primeiras parcelas do Projeto Exe­cutivo do Centro de Controle de Operações (CCO).

A medição ocorre quando a empresa responsável pela obra conclui um dos trechos e, na sequência, técnicos do governo fazem a vistoria e liberam o montante gasto.

O Plano Diretor de Mobilidade do ABC, elaborado pelo Consórcio Intermunicipal, tem como objetivo propor ações regionais de mobilidade urbana que subsidiem políticas e projetos integrados entre os municípios da região.

A iniciativa abrange, dentre outras ações, a reorganização das redes municipais e metropolitanas de transporte coletivo, intervenções físicas em obras de ampliação da infraestrutura viária e medidas operacionais de gestão da circulação.

 REPASSES

Em 2015, o Ministério das Cidades autorizou para o Consórcio ABC o repasse de R$ 31,6 milhões, sendo R$ 26,4 milhões para 21 projetos funcionais e básicos de engenharia para a requalificação de corredores preferenciais para transporte coletivo, e R$ 4,7 milhões para o projeto do Centro de Controle de Operações. Os recursos estavam previstos no PAC Mobilidade Urbana do ABC.

Desde 2016, o Consórcio está elaborando, a partir dos recursos federais, os 21 projetos funcionais e básicos de engenharia que têm como objetivo de melhorar a fluidez e desafogar gargalos do transporte público. Em março deste ano, o Ministério das Cidades autorizou o repasse para o projeto exe­cutivo do CCO, que havia sido anunciado em 2013, pela então presidente Dilma Rousseff (PT), e só foi li­berado neste ano por meio do tra­balho do Consórcio.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*