Diadema, Política-ABC, Sua região

Minas: ‘a abstenção, os votos brancos e nulos, demonstram que a população esta cansada’

Minas: “teremos de demonstrar que vivemos um novo tempo” . Foto: Imprensa/CMD
Minas: “teremos de demonstrar que vivemos um novo tempo” . Foto: Imprensa/CMD

Eduardo Minas, atual secretário de Cultura de Diadema, a partir de 2021 estará na Câmara da cidade. Foi eleito vereador pelo PROS,  com 2.233 votos. Na administração pública desde 2007, o secretário  passou pela Prefeitura da Capital, com atuação na pasta de Esportes e, já em Diadema, em 2012, pela Secretaria de Segurança Alimentar. A partir de 2017, passou a administrar a área de cultura do município.

Ao Diário Regional, Minas afirmou que a relação de proximidade com a  população  foi a grande mola propulsora  de sua eleição como vereador.  “De 2007 para cá já são 14 anos de uma vida entregue à administração pública. De certa forma, tive de me doar para a nossa cidade, por este grupo, em um projeto de estar vereador da cidade. De dizer para a população a finalidade e o âmbito das competências do que realmente faz um  vereador, que é fiscalizar a boa gestão do recurso público. Acompanhar a boa gestão de cada centavo daquele que contribui para o desenvolvimento da cidade.  De quem realmente paga a conta”, pontuou.

Minas acumula grande experiência de gestão pública.  Em São Paulo, na administração do então secretário de Esportes  Walter Feldman, participou  na construção e organização da primeira edição da Virada Esportiva e esteve  à frente de equipamentos  esportivos importantes da Capital, como o Centro Esportivo, Recreativo e Educativo do Trabalhador (Ceret) do Jardim Anália Franco e o Clube Escola da Mooca .

Filho e morador de Diadema, Minas destacou que sempre se identificou com sua cidade e, em 2012 recebeu convite do então prefeito eleito Lauro Michels (PV) para compor a futura administração.  “A partir de 2013  começamos a desenvolver ações com foco no interesse público. Calcados nos princípios da administração pública. Ser eficiente, com olhar na economia.  Primeiramente,   recebi o convite para estar na Secretaria de Segurança Alimentar. Nos aproximamos dos feirantes , dos empreendedores populares. Buscamos entregar nos restaurantes populares do Campanário e do Serraria uma alimentação com alto valor nutricional. Com olhar para aqueles cidadãos mais vulneráveis, com uma condição social mais fragilizada. No Shopping Popular, que é um espaço público,  tivemos um olhar maior para a geração de emprego e renda, com empreendedorismo.  No  Banco de Alimentos implementamos o  programa de aquisição de alimentos e criamos, também, uma forma de envolvimento da sociedade com o programa Sábado Solidário.  Implementamos o maior programa de hortas urbanas do Brasil. Conseguimos envolver a população com uma equipe técnica da secretaria e entregar nosso melhor para eles”, ressaltou.

ELEIÇÕES

Para Minas, o pleito deste ano  foi historicamente muito difícil, principalmente pela  população estar  desacreditada da política e de sua estrutura como um todo.  “Em muito nos preocupa essa descrença  da população, nacionalmente falando, não só em Diadema, na  administração pública;  no ente público e no ente político. A resposta nas urnas, a abstenção , os votos brancos e  nulos demonstram, de forma efetiva, que a população esta cansada e desanimada. Só que como em toda a relação, alguém tem de demonstrar  com ações que é possível  se ter algo melhor”, pontuou.

Segundo Minas,  o patrão do agente público é a população e este terá de demonstrar com atitudes que existe a boa  intenção,  com ações objetivas de  interesse público.  “O agente político terá de demonstrar para a sociedade que vivemos um novo tempo e  isso é um processo  de reconquista. A população não tem de provar nada para o agente político. É agente público que tem de provar para a população a que veio.  Para que o ato de acreditar volte a pulsar dentro de cada um, porque aí o cidadão vai falar a si mesmo: ‘estou indo votar; vai ser útil’. O grande desafio é reconquistar aquilo que foi perdido de uma estrutura pública até então viciada e falida.”

Quanto ao retorno da oposição ao Executivo, Minas destacou que a  diferença do prefeito eleito José de Filippi Jr (PT)  para o Taka Yamauchi (PSD) foi “extremamente pequena”, além disso, afirmou que  a  abstenção e  o ato de reprovação também foram  muito grandes  e que  o PT já começa, em um primeiro momento,  não administrando para a cidade toda.

“O Taka teve um resultado extremamente expressivo e saiu fortalecido do processo político porque, dentro de sua iniciação de vida pública,  enfrentou  a estrutura chamada  militância do PT.  Então, é tempo que vai dizer quem ganhou e quem perdeu. Existem situações em que a gente perde ganhando e outras em que ganhamos perdendo.  É extremante relativo.”

VEREANÇA

Afirmando ser apaixonado pela administração pública, Minas disse acreditar no seu poder real de transformação social e que não existe gestão ruim  quando a população está organizada. “O vereador representa a sociedade de uma forma muito direta. Quero estar na Câmara de Diadema dialogando de uma forma incessante com a população. Vamos construir por várias mãos, dialogando sempre com o olhar técnico que a administração pública não pode esquecer.  Ela precisa  ter a sensibilidade social, mas a essência  técnica não pode ser perdida. Ouvindo tecnicamente as pessoas dentro dos  projetos de lei e das ações que forem discutidas,  conduzindo esse processo  com muita responsabilidade”, destacou.

Segundo Minas,  a situação econômica nacional  traz sérios desafios com  a diminuição de arrecadação e, consequentemente, no trabalho a ser ofertado. Para  o secretário, a ordem é se reinventar para não quebrar. “Não faltam recursos, Precisamos otimizar cada centavo.  Não custa caro para fazer. É possível  fazer o nosso melhor para a população.”  Minas complementou afirmando que  não é  secretário,  mas está secretário.  Da mesma forma, não será vereador; mas estará vereador. “ O que é público, não é meu. .  Acredito no serviço público de excelência. No serviço público que acolha e envolva.  Acredito na administração pública quando é feita nos preceitos  de seriedade.”

PANDEMIA

Para Minas, o ato de governar é sinônimo de enfrentar, começando pelos  medos.  Segundo o vereador eleito, o  próximo prefeito e os parlamentares eleitos  terão de se unir  em uma relação de sociedade e de interesse público  para, mesmo diante dos desafios da pandemia , proporcionar que a população seja bem atendida e respeitada.

“Serão  importantes boas propostas  do Executivo municipal, na figura do prefeito Filippi. Que  realmente ele consiga resolver, como proposto em sua campanha,  o que a população espera dele. Que realmente consiga entregar para a nossa sociedade aquilo que ela apera e necessita. Como vereador, o leque de oportunidades,  em conjunto com os desafios,  aumentou, assim como a minha responsabilidade.  Vou estar ali para discutir projetos  considerados  importantes para a cidade.  O que não for de interesse público, ou que venha tirar algum direito,  vamos combater e lutar por uma sociedade que acreditou em nossa proposta e nos proporcionou a condição de estar vereador por Diadema.”

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*