Diadema, Minha Cidade, Sua região

Michels: ‘apoiar o projeto que transforma lixo em energia assegura qualidade de vida às novas gerações’

Acordo para cessão da área foi assinado na terça-feira. Foto: Thiago Benedetti/PMD
Acordo para cessão da área foi assinado na terça-feira. Foto: Thiago Benedetti/PMD

O prefeito de Diadema, Lauro Michels, em reunião nesta terça-feira (13) com o diretor Metropolitano da Sabesp, Ricardo Borsari, assinou a cessão da área do Departamento de Limpeza Urbana (DLU), localizada na Avenida Pirâmide, no Inamar, para ins­talação da Usina de Recuperação de Energia de Resíduos Sólidos Urbanos. Segundo a prefeitura, a assinatura conso­lida o primeiro passo para que a Sabesp possa dar entrada ao processo de licenciamento do equipamento.

“É preciso ter sensibilidade para lidar com as mudanças da nossa geração. Apoiar o projeto que transforma o lixo em energia e acaba com o problema do aterro sanitário são medidas que asseguram as novas gerações mais qualidade de vida. O meio ambien­te depende de você e você depende do meio ambiente”, destacou Lauro Michels.

O convênio, que não inclui a coleta (continuará a cargo do município), prevê que o lixo, em vez de ser levado para os aterros, terá como destino planta industrial de tratamento de resíduos, onde será feita a separação de materiais recicláveis, transformando o lixo orgânico em combustível derivado de resíduo ( “CDR”).

A parte reciclável será destinada a uma Central de Triagem e aproveitada por coo­perativas de catadores de lixo. O CDR poderá ser comercializado para abaste­cimento de fornos indus­triais ou ser destinado para a geração de energia elétrica.
O acordo prevê, ainda, que a cobrança da taxa do lixo do município mantenha o seu valor atual, sendo transferida do IPTU para a conta de água e esgoto emitida pela Sabesp.

Com o recurso proveniente da taxa, a companhia pretende contratar operador, por meio da Sociedade de Propósito Específico (SPE – formada pela Sabesp e iniciativa privada), para fazer a disposição dos rejeitos e a co­mercialização de recicláveis e do CDR e/ou energia.

Segundo a prefeitura, o investimento estimado para cons­trução do equipamento está entre R$ 250 milhões e R$ 300 milhões, a serem custeados pela SPE. A previsão é que o projeto entre em operação a partir de dezembro de 2022.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*