Regional, Sua região

Metalúrgicos do ABC e demais sindicatos lançam Comitê Regional contra a Reforma da Previdência

O Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em conjunto com todas as entidades sindicais do ABC filiados à CUT e demais centrais sindicais, promoverá na próxima segunda-feira (6), o lançamento do “Comitê Regional do ABC contra a Reforma da Previdência”. O evento acontecerá a partir das 9h, na sede do Sindicato dos Químicos, que fica na rua Senador Fláquer 813, em Santo André.

A programação inclui a realização de um seminário para debate do tema, com a participação do ex-ministro da Previdência Social Carlos Gabas e do deputado federal Arlindo Chinaglia (PT-SP).

O encontro faz parte do esforço das entidades sindicais no enfrentamento à reforma, considerada por todas como um desmonte dos direitos do trabalhador brasileiro. “A luta dos metalúrgicos do ABC se unirá a todos os esforços de outras categorias para que a reforma da Previdência não passe. É uma reforma cruel que penaliza apenas a classe trabalhadora e quem mais precisa, mas poupa os empresários e os mais ricos do país”, avalia o secretário-geral do Sindicato, Wagner Santana.

Outras iniciativas já surgiram, como a campanha nacional “Reforma da Previdência sua aposentadoria acaba aqui”, lançada pela Confederação Nacional dos Metalúrgicos da CUT, a CNM-CUT, no dia 25 de janeiro, e que está nas ruas da região, por meio de outdoors espalhados por Santo André, São Bernardo, Diadema; Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra.

“Faremos atos de rua, seminário, campanhas, e apoiaremos os companheiros do movimento sindical que decidirem se manifestar. Os trabalhadores do ABC, com certeza, não vão deixar a luta em defesa do direito de se aposentar após uma vida inteira dedicada ao trabalho”, destaca Wagner.

A reforma da Previdência institui idade mínima de 65 anos para aposentadoria e aumenta o tempo mínimo de contribuição de 15 para 25 anos. Para receber 100% do benefício, será necessário contribuir por 49 anos, o que, na prática, significará o fim do benefício integral para boa parte dos trabalhadores brasileiros, que não terão condições de permanecer por todo esse período no mercado de trabalho.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*