Esportes, Futebol

Mesmo com futebol paralisado, clubes buscam se reforçar durante pandemia

Mesmo com futebol paralisado, clubes buscam se reforçar durante pandemia
Atacante Jô acertou seu retorno ao Corinthians, com vínculo válido até o fim de 2023. Foto: Divulgação/Agência Corinthians

Embora o futebol brasileiro esteja paralisado desde março por causa da pandemia do novo coronavírus, os clubes brasileiros não interromperam a busca por reforços neste período. A bola não rola e o calendário de 2020 ainda está indefinido, mas o mercado segue em andamento. A principal contratação no futebol paulista foi anunciada na última quarta-feira: o atacante Jô acertou seu retorno ao Corinthians, com vínculo válido até o fim de 2023.

A repatriação de Jô não foi a única negociação do Corinthians. O atacante Alex Teixeira tem sua situação monitorada pelo clube – o contrato dele com o Jiangsu Suning, da China, termina no final deste ano. Além disso, o zagueiro Léo Santos renovou até 2023. Por outro lado, o alvinegro rescindiu de forma amigável com Vagner Love, que tinha vínculo até o final desta temporada e deve voltar ao futebol estrangeiro. O meia Pedrinho é outro que não defenderá mais o clube do Parque São Jorge porque foi vendido ao Benfica, de Portugal, ainda antes da paralisação.

No Palmeiras, a diretoria está de olho na Suíça, onde o futebol já foi retomado. O atacante Arthur Cabral está emprestado ao Basel e pode ser comprado por € 4,5 milhões. Isso porque há cláusula de compra obrigatória caso o jogador faça 12 gols em sua primeira temporada pelo Basel, e Cabral está a apenas um de bater a meta. O jogador está emprestado até o final de junho e terá mais três jogos pela frente.

O Palmeiras tem 50% dos direitos econômicos de Arthur Cabral, enquanto a outra metade pertence ao Ceará, seu ex-clube. Contratado no final de 2018 pelo alviverde, o atacante recebeu poucas oportunidades: fez apenas seis jogos e um gol.

O Palmeiras não reforçou o elenco até agora, mas aproveitou a paralisação para mudar sua comissão técnica: o preparador de goleiros Rogério Godoy, ex-Grêmio, foi contratado para o lugar de Oscar Rodriguez, demitido.

No Santos, uma punição da Fifa impede o registro de novos jogadores. O motivo da penalidade é a dívida de € 2,5 milhões que o clube alvinegro tem com o Hamburgo, da Alemanha, pela contratação do zagueiro Cleber Reis ainda em 2017. Com isso, a principal movimentação nos bastidores foi a renovação de contrato do zagueiro Lucas Veríssimo até o final de 2024. Durante a paralisação, o Santos liberou o meia Evandro, que tinha contrato apenas até este mês.

O São Paulo também não anunciou reforços nos últimos meses. A notícia que mais agitou o departamento de futebol do clube foi o possível interesse do Real Madrid no meia Igor Gomes. O jornal As publicou no fim de março que o clube espanhol monitora a situação do jogador de 21 anos e o chamou de “novo Kaká”.

OUTROS ESTADOS

Fora do futebol paulista, algumas negociações agitaram os bastidores dos clubes em meio à pandemia. O Fluminense, por exemplo, acertou a volta do atacante Fred após quatro anos. O jogador assinou até julho de 2022 e retorna ao time carioca depois de ter se desligado do Cruzeiro, que vive grave crise financeira.

O Atlético-MG é o time que mais tem se movimentado nos últimos meses no Brasil. O alvinegro contratou o zagueiro Bueno, emprestado pelo Kashima Antlers, do Japão; o volante Léo Sena, ex-Goiás; o também volante Alan Franco, ex-Independiente Del Valle, do Equador; e o atacante Marrony, ex-Vasco. O clube mineiro já anunciou a chegada do atacante Keno, que estava no Pyramids, do Egito.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*