Brasil, Editorias, Notícias

Mercosul e UE fecham acordo e Brasil prevê ganho bilionário com exportações

Mercosul e UE fecham acordo e Brasil prevê ganho bilionário
Delegação brasileira participou do fechamento do acordo. Foto: Ministério das Relações Exteriores

Após 20 anos de negociações, o Mercosul e a União Europeia concluíram nesta sexta-feira (28) acordo para formar área de livre-comércio entre os dois blocos. A parceria prevê que, em até dez anos, 90% dos produtos exportados pelo Brasil entrarão no bloco europeu livre de tarifas de importação. Hoje, somente 24% das mercadorias enviadas aos europeus têm alíquota zero. Com isso, o Brasil e seus parceiros – Argentina, Paraguai e Uruguai – esperam ter vantagens frente a ou­tros rivais e aumentar as vendas para o bloco.

Segundo o governo, o tratado permitirá ao Brasil que, em 15 anos, as exportações para o bloco aumentarão em US$ 100 bilhões (R$ 384 bilhões, valor desta sexta-feira) ao ano. Em 2018, o Brasil exportou US$ 42,1 bilhões (R$ 161,6 bi) para os 28 países que compõem a UE. O bloco é o segundo maior mercado para os brasileiros no mundo, perdendo somente para a China.

O Ministério da Economia afirmou que o acordo representará um incremento de US$ 87,5 bilhões (R$ 336 bi­lhões) em 15 anos ao Produto Interno Bruto (PIB) e permitirá a entrada de US$ 113 bilhões (R$ 433,9 bilhões) em investimentos no mesmo período.

Com o acordo, produtos agrícolas brasileiros, como suco de laranja, frutas, café solúvel, peixes, crustáceos e óleos ve­getais terão tarifas eliminadas ao serem vendidos para Europa. Na outra mão, o Mercosul também não taxará as compras de produtos europeus, como veículos, maquinários, produtos químicos e farmacêuticos, vestuário e calçados e tecidos.

Para que esses efeitos sejam sentidos, porém, será preciso cumprir um longo percurso de ratificação do acordo. O acerto comercial só começará a valer após o parlamento da União Europeia e o Congresso dos quatro países sul-americanos aprovarem o texto. Há pontos, porém, que só terão efeito após cada um dos parlamentos dos 28 países que compõem a União Europeia der seu aval.

EMBARQUES

O acordo pode alavancar embarques brasileiros, mas também facilitará a entrada de produtos europeus no país. O prazo, nesse caso, será um pouco mais folgado. Alguns setores só serão totalmente aber­tos – ou seja, terão a tarifa de importação eliminada – após 15 anos. Nesse grupo está o setor automotivo, por exemplo.

O setor de vinhos também ficou com cronograma elástico: serão 12 anos até que produtos europeus cheguem sem tarifa. Porém, são exceções, segundo o governo brasileiro. A maior parte terá a alíquota zerada bem antes disso. O texto final com os detalhes do que foi acer­tado passa por revisões e só será divulgado nos próximos dias. Juntos, Mercosul e União Europeia reúnem cerca de 780 milhões de pessoas e representam cerca de 25% do PIB mundial.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*