Mauá, Minha Cidade, Sua região

Mauá ganha posto do IML para mulheres vítimas de violência

Mulheres vítimas de violência doméstica ou fami­liar contarão com um posto do IML (Instituto Médico Legal) em Mauá, para exame de corpo de delito. O espaço foi inaugurado pelo prefeito Atila Jacomussi nesta quarta-feira (21) e funcionará nas dependências da Secretaria de Políticas Públicas para Mulheres, às quartas-feiras, das 14h às 16h, com enfoque também às moradoras de Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra. A partir do próximo dia 28, o posto de perícia médica do IML oferecerá atendimentos para diversas ocorrências de lesão corporal, embora a prioridade seja facilitar às mulheres o acesso aos mecanismos de denúncia contra a violência de gênero. Dessa forma, o governo municipal busca assegurar acompanhamento mais humanizado às vítimas e reforçar a aplicação da Lei Maria da Penha.  O posto também está em sintonia com a lei federal 13.721, sancionada em outubro pelo presidente Michel Temer, que dá prioridade no exame de corpo de delito a mulheres vítimas de violência doméstica, crianças, adolescentes, idosos e pessoas com deficiência. O espaço terá mobiliário cedido pela adminis­tração municipal e médicos legistas oriundos da unidade do IML de Santo André. Atualmente, as mulheres enfrentam dificuldades de denunciar o agressor ou dar continuidade ao inquérito policial, devido ao deslocamento para Santo André, o que impõe gastos com transporte público. De acordo com integrantes da Prefeitura de Mauá e da Polícia Civil, é comum as vítimas serem dependentes financeiramente do cônjuge, sem condições de desembolsar os custos das passagens. Como não houve aumento no número de médicos legistas, o atendimento em uma etapa inicial ficará concentrado às quartas-feiras. Porém, tanto o governo municipal como o IML andreense não descartam a ampliação do serviço, conforme a demanda. O agendamento ao posto de perícia médica ocorrerá por meio de abertura de boletim de ocorrência, para exame de corpo de delito em seguida.  À espera desde 1998 pelo IML, Mauá também está em vias de receber nova unidade, ao lado do cemitério do Jardim Santa Lídia, para serviços de verificação de óbitos (causas naturais) e trabalhos de ne­cropsia (mortes violentas, sob inquéritos policiais), hoje concentrados em Santo André. A perspectiva do Paço é receber o equipamento no próximo ano. (Reportagem Local)
Posto de perícia médica do IML atenderá às quartas-feiras. Foto: Roberto Mourão/PMM

Mulheres vítimas de violência doméstica ou fami­liar contarão com um posto do IML (Instituto Médico Legal) em Mauá, para exame de corpo de delito. O espaço foi inaugurado pelo prefeito Atila Jacomussi nesta quarta-feira (21) e funcionará nas dependências da Secretaria de Políticas Públicas para Mulheres, às quartas-feiras, das 14h às 16h, com enfoque também às moradoras de Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra.

A partir do próximo dia 28, o posto de perícia médica do IML oferecerá atendimentos para diversas ocorrências de lesão corporal, embora a prioridade seja facilitar às mulheres o acesso aos mecanismos de denúncia contra a violência de gênero. Dessa forma, o governo municipal busca assegurar acompanhamento mais humanizado às vítimas e reforçar a aplicação da Lei Maria da Penha.

O posto também está em sintonia com a lei federal 13.721, sancionada em outubro pelo presidente Michel Temer, que dá prioridade no exame de corpo de delito a mulheres vítimas de violência doméstica, crianças, adolescentes, idosos e pessoas com deficiência. O espaço terá mobiliário cedido pela adminis­tração municipal e médicos legistas oriundos da unidade do IML de Santo André.

Atualmente, as mulheres enfrentam dificuldades de denunciar o agressor ou dar continuidade ao inquérito policial, devido ao deslocamento para Santo André, o que impõe gastos com transporte público. De acordo com integrantes da Prefeitura de Mauá e da Polícia Civil, é comum as vítimas serem dependentes financeiramente do cônjuge, sem condições de desembolsar os custos das passagens.

Como não houve aumento no número de médicos legistas, o atendimento em uma etapa inicial ficará concentrado às quartas-feiras.

Porém, tanto o governo municipal como o IML andreense não descartam a ampliação do serviço, conforme a demanda. O agendamento ao posto de perícia médica ocorrerá por meio de abertura de boletim de ocorrência, para exame de corpo de delito em seguida.

À espera desde 1998 pelo IML, Mauá também está em vias de receber nova unidade, ao lado do cemitério do Jardim Santa Lídia, para serviços de verificação de óbitos (causas naturais) e trabalhos de ne­cropsia (mortes violentas, sob inquéritos policiais), hoje concentrados em Santo André. A perspectiva do Paço é receber o equipamento no próximo ano.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*